Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Rebuliços das últimas corridas: Grandes Prémios que decidem títulos (pt 2)

Rebuliços das últimas corridas: Grandes Prémios que decidem títulos (pt 2)

Rebuliços das últimas corridas: Grandes Prémios que decidem títulos (pt 2)

1980 – Pelo terceiro ano consecutiva um piloto da Suzuki desafio Kenny Roberts na luta pelo título, mas desta feita foi o também norte-americano Randy Mamola e o palco foi mais uma vez Nurburgring, precisamente na última vez que recebeu um GP. Apesar de Mamola ter liderado a prova no início, Roberts apresentou-se sempre como o favorito ao título, pois apenas necessitava de terminar em oitavo. A luta de Mamola deixou de se verificar a meio da corrida quando se deparou com problemas mecânicos.

1981 – Pelo segundo ano consecutivo Randy Mamola chegou à última corrida do ano, desta feita no circuito sueco de Anderstorp, com a possibilidade de ganhar o ceptro. Marco Lucchinelli era o piloto na frente da classificação e necessitava apenas de um quinto posto para ganhar o campeonato caso Mamola saísse vitorioso da corrida. A prova foi disputada sob condições climatéricas mistas, com chuviscos a caírem depois de Mamola liderar o início da corrida, acabando por cair na classificação e ficar fora dos pontos enquanto Lucchinelli rumou tranquilo para o título com um nono lugar.

1983 – Freddie Spencer tinha cinco pontos de vantagem sobre Kenny Roberts quando chegaram à última prova de 1983 depois de controversa ultrapassagem na derradeira volta da penúltima corrida do ano na Suécia e que deu a vitória a Spencer. Ao longo de toda a corrida disputada em Imola Roberts tentou travar Spencer para permitir ao seu companheiro de equipa Lawson aproximar-se e tentar terminar à frente de Spencer. Em cima da bandeira de xadrez Spencer consegui ascender ao necessário segundo posto para se tornar no primeiro piloto Honda a ganhar o título de 500cc.

1989 – Mais uma vez dois norte-americanos chegaram à última corrida do ano com possibilidades de se sagrarem Campeões do Mundo, desta vez tratou-se de Eddie Lawson e Wayne Rainey. Este último liderou o campeonato desde a segunda corrida do ano até três provas do final, na Suécia, quando cometeu um erro e caiu, dando a Lawson confortável vantagem para a prova disputada no circuito de Goiana no Brasil. Lawson terminou a corrida em segundo e conquistou o título depois de tremenda luta com Lawson e o compatriota Kevin Schwantz que ganhou a corrida.

1992 – Após se ter destacada no Campeonato no início do ano, Mick Doohan sofreu graves lesões numa queda durante os treinos da oitava jornada, em Assen, numa altura em que somava mais 65 pontos que Wayne Rainey. Quando Doohan regressou à acção a duas provas do final, e ainda longe de estar a 100%, Rainey tinha reduzido a vantagem de forma considerável, chegando a Kyalami, na África do Sul, a apenas dois pontos de Doohan. Apesar do heróico esforço de Doohan para terminar em sexto, Rainey garantiu tranquilo terceiro posto e venceu o título por quatro pontos. Esta foi a única vez que um piloto chegou à última corrida do campeonato e não conquistou o título.

1993 – Esta foi a última vez que um Campeonato se decidiu na última corrida do ano com Kevin Schwantz a liderar com 18 pontos de vantagem sobre Wayne Rainey. Contudo, a verdade é que Schwantz acabou por conquistar o ceptro duas corridas antes, no GP de Itália, quando Wayne Rainey sofreu grave acidente que pôs fim à sua carreira.

Tags:
MotoGP, 2006

Outras actualizações que o podem interessar ›