Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Winona Racing dá oportunidade aos pilotos britânicos de brilharem em 2007

Winona Racing dá oportunidade aos pilotos britânicos de brilharem em 2007

Winona Racing dá oportunidade aos pilotos britânicos de brilharem em 2007

A defender as cores britânicas nas 250cc, a Winona Racing arranjou interessante alinhamento para a temporada de 2007. A formação com base em Londres continua com o wildcard de 2006 Dan Linfoot, que vai fazer a primeira temporada completa no Campeonato do Mundo,dando também a oportunidade ao escocês Kev Coghlan, que terminou o CEV Buckler do ano passado em quarto.

Enquanto a equipa prepara o primeiro teste com nova parceria, fazendo correr duas motos pela primeira vez, falámos com Andy Hyde, o responsável pelo projecto da Winona Racing.

A Winona Racing é a equipa mais britânica na grelha. Foi uma decisão conscienciosa a de correr com dois pilotos britânicos?

A base da equipa no início era a minha ideia de que para termos pilotos britânicos no Mundial precisamos de ter uma formação privada que dê oportunidades – e as 250cc são prioritárias porque desempenham papel preponderante no desenvolvimento dos pilotos. Isto sem esquecer o facto que se trata do segundo campeonato mais importante do mundo!

O Kev Coghlan é claramente um talento, como é que o abordaste para passar para o Campeonato do Mundo?

O Kev era um dos pilotos que queríamos recrutar para 2006, por isso há algo tempo que falamos com ele. A Escócia tem a tradição de produzir talentosos desportistas e o motociclismo não é excepção. Todos parecem partilhar uma atitude determinada com forte ética, por isso estamos muito contentes por contarmos com o Kev na equipa.

O Dan Linfoot vai fazer a primeira temporada completa. Como é que esperas que ele continue com o seu próprio desenvolvimento?

O Dan tem talento e dá sempre 100%. Bater o experiente Chaz Davies na qualificação, também ele numa Honda privada, em Donington mostrou a sua velocidade. Infelizmente nunca conseguimos os resultados de corrida que merecia – especialmente no final da temporada quando tivemos alguns problemas técnicos. O ano de 2007 deve ser bom para o Dan.

Podes explicar um pouco mais a história da Winona Racing?

O meu passado está na verdade ligado à publicidade e marketing. Costumava correr aos fins-de-semana por brincadeira. Tive a sorte de ganhar o New Era SuperClub de 2005 e no final dessa temporada conheci o Óscar Gallardo da Dorna e começámos a falar da criação da Winona Racing.

O Peter Clifford tem trabalhado com a equipa como conselheiro. Vai continuar com a equipa em 2007 e qual será o seu papel na formação?

O Peter e eu conhecemo-nos em Mugello e ficou desde logo claro para mim que era alguém que devia ouvir e com quem tinha de aprender. Ele tem ajudado o Dan com conselhos e opiniões do lado da pista, mas fundamentalmente temos passado muito tempo a desenvolver os nossos planos para o futuro. O Peter tem agora o controlo técnico da equipa – o que é um grande passo para nós. Isto permite-me concentrar-me no lado comercial do nosso negócio – o que foi difícil de fazer este ano para começarmos a correr. Temos de ser mais proactivos com o desporto porque não estamos apenas a competir com outras modalidades pelos patrocínios, mas com o media também.

O que esperas de 2007?

Os ingredientes estão todos lá, mas ainda há alguns obstáculos a superar. Se tudo correr bem esperamos construir sólidas bases para a equipa. Na minha opinião não são poucos os talentos britânicos – mas têm mais oportunidades nas corridas de produção. Equipas como a Winona WCM precisão de ter sucesso e criar oportunidades para estes pilotos mostrarem o que valem nos Grandes Prémios.

Tags:
250cc, 2007

Outras actualizações que o podem interessar ›