Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone assegura compromisso individual com as equipas

Bridgestone assegura compromisso individual com as equipas

O ano de 2007 adivinha-se muito preenchido para Hiroshi Yamaha, o responsável do departamento de duas rodas da Bridgestone Motorsport.

O ano de 2007 adivinha-se muito preenchido para Hiroshi Yamaha, o responsável do departamento de duas rodas da Bridgestone Motorsport.

Esta temporada o fabricante nipónico vai fornecer borrachas à Ducati Marlboro, Honda Gresini, Kawasaki Racing, Pramac d'Antin e Rizla Suzuki, ou seja, cinco formações em representação de quatro marcas diferentes. Além da mudança para as 800cc, há ainda o acréscimo natural de responsabilidade no que tocas aos requisitos individuais, isto apesar de Yamada se mostrar confiante em encontrar a solução para cada um.

"De forma geral o plano tem sido encontrar o rumo certo para a construção do pneu, mas agora vamos começar a fase de adaptação para irmos ao encontro das exigências de cada uma das nossas equipas. Alguns pilotos ainda sentem a necessidade de mais apoio para terem pneus que se adaptem ao seu estilo de pilotagem. Nesta fase inicial podemos apenas garantir que vamos fazer tudo para satisfazer os pedidos das nossas equipas e pilotos", comentou depois do Teste Oficial da semana passada no Qatar.

Além disso, há ainda que ter em atenção o novo "parque fechado" e as suas regras que se aplicarão à Bridgestone e Michelin em 2007 e que limitam o número de pneus que podem ser utilizados por cada piloto em cada Grande Prémio, sendo a entrega dos mesmos efectuada na véspera de cada prova e na sua totalidade – ou seja, na quinta-feira à noite.

Apenas a Dunlop, que fornece a Yamaha Tech 3, está isenta destas novas regras já que ainda não conquistaram duas vitórias em seco.

Assim, os dados coligidos pela Bridgestone no primeiro Teste Oficial de MotoGP do ano, no Qatar durante a semana passada, revelaram-se cruciais para Yamada e todo o seu pessoal, bem como para cada uma das suas equipas.

Dentro de três semanas tem lugar o GP de abertura de temporada, precisamente no Qatar, uma pista que representa sempre grande desafio para os engenheiros, mecânicos e pilotos de MotoGP, muitas vezes devido à areia do deserto que vai para a pista.

Como Yamada explicou: "O Qatar é sempre uma pista difícil e única, um traçado para o qual desenvolvemos pneus que não se usam em mais lado nenhum. O teste desta semana foi muito interessante, apesar de não ter dado grandes desenvolvimentos. Começámos por utilizar pneus semelhantes aos da corrida do ano passado e constatámos rapidamente que as características do asfalto se tinham alterado desde a nossa última visita. A pista parece ter mais aderência que no ano passado, o que nos levou a testar compostos diferentes dos inicialmente previstos."

E se a Michelin vai introduzir os mais pequenos frontais de 16" esta temporada, Yamada e a sua equipa da Bridgestone acreditam que o tradicional 16,5" oferece a melhor performance às suas equipas, mesmo com a introdução dos novos modelos de MotoGP mais pequenos.

"Esperamos ter níveis de aderência muito semelhantes quando voltarmos ao Qatar dentre de poucas semanas", continuou o nipónico. "O nosso frontal habitual pode beneficiar algumas das nossas equipas, apesar da nossa especificação especial para os frontais para o Qatar também poder estar disponível. A preferência por determinado tipo de pneu é algo muito individual, por isso cada uma das nossas equipas vai trabalhar em grande proximidade com o engenheiro que para ela for destacado com o objectivo de traçar a melhor direcção a seguir. Em qualquer dos casos, temos muitos dados das 800cc para fazermos mais desenvolvimentos antes da corrida deste ano."

Apesar do aumento de pressão sobre os fabricantes de pneus este ano, Yamada garantiu que a marca japonesa vai continuar a fornecer o mais alto nível de profissionalismo às suas equipas: "Estamos totalmente apostados em dar um bom serviço às nossas equipas. É certo que fornecer quatro marcas diferentes pode trazer pressão, mas sabemos onde estão os limites. As restrições de pneus esta época deram-nos a possibilidade de fornecer mais equipas e temos engenheiros dedicados a cada uma delas para garantirmos que todos os dados nos chegam da forma mais precisa e passam para a implementação."

Tags:
MotoGP, 2007

Outras actualizações que o podem interessar ›