Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Yamada fala da prestação de Jerez e alterações nos dianteiros de qualificação

Yamada fala da prestação de Jerez e alterações nos dianteiros de qualificação

Apesar da sequência de quatro triunfos no MotoGP por parte da Bridgestone ter chegado ao fim em Jerez, os tempos muito rápidos apresentados tanto na corrida, como na qualificação, significam que o fabricante não pode estar muito insatisfeito com a prestação dos seus pilotos.

Apesar da sequência de quatro triunfos no MotoGP por parte da Bridgestone ter chegado ao fim em Jerez, os tempos muito rápidos apresentados tanto na corrida, como na qualificação, significam que o fabricante não pode estar muito insatisfeito com a prestação dos seus pilotos. Hiroshi Yamaha, da Bridgestone, comentou o fim-de-semana e os dois dias de testes pós corrida, como é já usual.

"Em termos de performance dos nossos pneus, penso que podemos estar muito contentes, mesmo com os resultados do fim-de-semana a serem algo desapontantes. Após os três treinos livres consequimos colocar cinco dos nossos pilotos entre os sete primeiros dos resultados combinados e os pneus mostraram boa consistência ao longo de muitas voltas. A qualificação foi muito competitiva e falhámos a pole apenas por um décimo de segundo, mas esse tempo, estabelecido pelo Casey Stoner, foi apenas bom para o quinto lugar. No que toca à corrida, os nossos pneus foram rápidos e consistentes ao longo das 27 voltas e no final o Toni e o Casey estavam cerca de meio segundo mais rápido que os outros. Apesar de termos ficado foram do pódio, estamos muito satisfeito com a performance dos nossos pilotos na corrida."

Com a pista a sofrer variações de temperatura, Yamada acrescentou: "Tivemos um bom fim-de-semana de tempo senco, mas as temperaturas da pista e ar fluctuaram muito ao longo dos três dias. A pista chegou a estar a 15º na sexta-feira de manhã, mas subiu aos 40º na qualificação. Demos compostos médios e macios às nossas equipas em Jerez, ambos a portarem-se muito bem nos treinos. As nuvens e temperaturas mais baixas de domingo permitiram-nos rodar com o composto mais macio, e que continuou com excelente aderência até à última volta. O Toni Elías garantiu o seu melhor tempo da prova na terceira volta, com 1m41,395s, e na penúltima rodou em 1m41,916s, apenas meio segundo mais lento. O melhor registo de Stoner foi 1m41,443s à sétima volta, mas na última volta da corrida rodou apenas 4 décimos mais lento com 1m41,825s.

"O tempo também teve papel importante depois da corrida devido ao teste com as nossas cinco equipas na segunda-feira, em que começou a chover. Aproveitámos a oportunidade para avaliar os mais recentes pneus de chuva, já que muitas das nossas equipas não tiveram a oportunidade de rodarem com sd novs 800cc em condições de seco. Apesar das melhorias do tempo na terça, a chuva chegou mesmo a interromper, fazendo com que fosses poucos os pilotos alevsra cado o nosso programa de testes. No que respeita aos pneus de qulificação,testámos as especifiçõs dianteiras e treseiras do pneu de qualificação. Trabalhámos com a Gresini Honda, Kawasaki e Ducati neste segundo dia e apresentámos como melhor registo o tempo de 1m39,484s, apenas 0,082 segundos do tempo de Pedrosa na tarde de domingo.

A proposta apresentada para alterações ao pneu dianteiro de qualificação ainda não foi introduzida, e não deverá acontecer até depois do GP da Turquia do próximo mês.

"Esparamos que o desenvolvimento do nosso pneu de qualificação se revele uma vantagem a longo prazo, mas ainda necessitamos de mais tempo para avaliarmos a especificação dianterira, pelo que tal não contecerá na Turquia. Acredito que o pneu posterior é a quele onde vasmos conseguir mais vsntagens e melhorias na performance. Os primeiros testes têm lugar a partida de terça-feira"

Tags:
MotoGP, 2007, GRAN PREMIO bwin.com DE ESPAÑA

Outras actualizações que o podem interessar ›