Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone mantém-se realista antes da China

Bridgestone mantém-se realista antes da China

Depois dos excelentes resultados no GP da Turquia, onde a Bridgestone equipou os seis primeiros classificados, o fabricante nipónico de borrachas chega à China muito optimista.

Depois dos excelentes resultados no GP da Turquia, onde a Bridgestone equipou os seis primeiros classificados, o fabricante nipónico de borrachas chega à China muito optimista.

Contudo, o responsável do departamento de competição em duas rodas da marca, Hiroshi Yamada, está realista e reconhece os desafios de nova viagem a território por explorar com as 800cc.

No ano passado com a 990cc John Hopkins foi o melhor classificado da Bridgestone. O anglo-americano da Rizla Suzuki largou de segundo da grelha e garantiu o primeiro resultado nos quatro primeiros – o que continua a ser o seu melhor resultado até ao momento.

A primeira visita do MotoGP à China em 2005 viu a Kawasaki de Olivier Jacque cruzar a meta em segundo depois de uma GP marcado pela chuva, o melhor resultado da Bridgestone nessa altura.

Tal como na Turquia, esta é a terceira visita ao traçado de Xangai e a primeira vez com máquinas de 800cc.

Yamada minimizou o sucesso turco e explicou os desafios que têm pela frente este fim-de-semana comentando: "Não nos deixámos levar pelos resultados na Turquia há duas semanas. Ficámos muito contentes com a competitividade e durabilidade dos nossos pneus numa pista onde antes tínhamos tido muitas dificuldades, mas a China é um novo desafio."

"Como vimos em anos anteriores, o clima na China pode ser muito variável, por isso vamos ter levar uma maior variedade de especificações este fim-de-semana para qualquer eventualidade. Há duas rectas muito longas em Xangai, uma delas a mais longa e mais rápida do calendário com 1,2 km."

"Isto coloca muita importância na força do motor, mas a consequente forte travagem no fim da recta exige muito da zona central do pneu. As curvas mais lentas também requerem muita aderência lateral de ambos os lados do pneu, apesar do lado direito ser o mais requisitado, especialmente nas primeiras curvas lentas e sinuosas."

"Ninguém testou em Xangai este ano e não sabemos o que esperar aqui, mas depois da experiência de Istambul, onde os Bridgestone se deram tão bem, estou muito optimista e desejoso pela corrida."

Tags:
MotoGP, 2007, SINOPEC GREAT WALL LUBRICANTS GRAND PRIX OF CHINA

Outras actualizações que o podem interessar ›