Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Elías, Hayden e Barros recordam acidente da primeira volta

Elías, Hayden e Barros recordam acidente da primeira volta

Depois do excelente segundo posto na Turquia as coisas não correram tão bem a Toni Elías em Xangai, já que o piloto da Honda Gresini caiu na primeira volta depois de colidar com a Repsol Honda de Nicky Hayden.

Depois do excelente segundo posto na Turquia as coisas não correram tão bem a Toni Elías em Xangai, já que o piloto da Honda Gresini caiu na primeira volta depois de colidar com a Repsol Honda de Nicky Hayden.

A primeira curva do Sinopec Great Wall Lubricants Grande Prémio da China viu Elías ir ao chão depois de tocar no pneu traseiro de Hayden, acabando por fazer com que ambos fossem para fora de pista. Barros também se viu envolvido no incidente, mas enquanto ele e Hayden conseguiram regressar à prova, o espanhol já não teve a oportunidade de voltar a montar a moto e somar mais pontos.

"Estou desapontado por não terminar a corrida," disse Elías. "No warm-up a moto tinha melhorado muito em comparação com os treinos. Encontrámos uma solução muito melhor para os pneus e penso que podia ter sido uma corrida boa para mim. Infelizmente na primeira volta estava atrás do Hayden quando me aproximava da linha dele perto da curva e não tive outra hipótese de evitar o toque na roda traseira dele e a queda. São coisas de corrida – especialmente quando estamos todos tão próximos, mas estou desapontado por perder tão importantes pontos."

O azarado Campeão do Mundo Nicky Hayden, que tem tido difícil início de defesa do título, teceu os seguintes comentários depois de terminar em 12º: "Fiz uma boa partida e estava a sentir-me bem pelo interior da curva e em boa posição. Depois houve alguém que me tocou por trás e tive a sorte de me conseguir manter na moto. Ainda fiquei fora do banco e com os pés a arrastar pelo chão, como um cowboy pelo meio da gravilha e a tentar não voltar à pista no meio do pelotão. Quando consegui estar na posição certa para reentrar na pista já todos tinham passado. Não tinha a certeza dos danos que tinha na traseira da moto e senti algumas vibrações depois do toque. Agora há muitos pilotos com ritmo idêntico e isto faz com este tipo de coisas possa acontecer com mais frequência na curva um, mas é frustrante. Recuperei o melhor que pude, apanhei alguns pilotos e fiz algumas ultrapassagens, mas foi uma corrida muito solitária."

Enquanto isso, depois do 14º lugar Barros acrescentou: Fiz uma boa largada, mas encontrei-me de imediato vi-me envolvido no acidente do Elías, o que me fez ir para fora da pista e a moto também se desligou. Perdi muito tempo e foi impossível voltar a apanhar o grupo, mas tentei terminar a corrida e fazer o meu melhor porque queria somar alguns pontos. Estou muito contente porque a equipa fez um bom trabalho e senti-me bem com a moto. Se tudo tivesse corrido de forma diferente estou certo que podia ter terminado nas posições da frente porque o ritmo de corrida estava muito bom. Mas no fim de contas sei que durante a corrida podem acontecer este tipo de problemas."

Tags:
MotoGP, 2007, SINOPEC GREAT WALL LUBRICANTS GRAND PRIX OF CHINA, Nicky Hayden, Toni Elias

Outras actualizações que o podem interessar ›