Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Não há ressentimentos entre os japoneses

Não há ressentimentos entre os japoneses

Não houve ressentimentos entre os japoneses Shinya Nakano da Konica Minolta Honda e Makoto Tamada da Dunlop Yamaha Tech 3 após a colisão entre os dois na terceira volta e os pilotos esperam voltar ao trabalho em Le Mans, com o início da temporada europeia.

Não houve ressentimentos entre os japoneses Shinya Nakano da Konica Minolta Honda e Makoto Tamada da Dunlop Yamaha Tech 3 após a colisão entre os dois na terceira volta e os pilotos esperam voltar ao trabalho em Le Mans, com o início da temporada europeia.

Nakano não se mostrou irritado com a forma como terminou o Sinopec Great Wall Lubricants Grande Prémio da China, em que a falha da travagem por parte de Tamada no gancho depois da longa recta oposta de Xangai acabou por levar os dois a desistir.

Nenhum dos dois nipónicos ficou gravemente lesionado e enquanto Tamada tratou logo de pedir desculpas depois do incidente, o compatriota Nakano – ele próprio antigo piloto Yamaha – mostrou-se apenas contente por os dois pilotos não se terem aleijado e aceitou as desculpas.

Nakano comentou: "Primeiro quero dizer que estou contente por nenhum de nós se ter magoado. Bati forte com a mão direita na queda, mas estará boa dentro de poucos dias. O Makoto e eu estamos bem, foi um incidente de corrida e isto acontece. É pena porque a nossa afinação era a melhor do fim-de-semana. Fiz boa partida e estava em 10º, mas não conseguia seguir os da frente."

"Os meus tempos por volta não estavam maus e estava concentrado em manter a posição para tirar partido de qualquer situação na frente, mas depois do final da recta oposta o Tamada falhou a travagem e tocou o meu pneu traseiro. Tenho muita pena pela equipa por termos sofrido o acidente e não podermos obter um resultado."

Enquanto isso Tamada explicou: "Foi uma pena, a minha corrida durou apenas três voltas e estava a sentir-me muito bem com a moto e pneus. Senti que ia ser a melhor corrida do ano até ao momento. Estou muito triste por ter caído porque estava com boa velocidade, mas também tenho pena pelo Shinya. Não esperava apanhá-lo ali, mas ele estava muito mais lento que eu pensava."

"Tentei evitá-lo indo por dentro para fazer a curva, mas infelizmente colidimos, acabámos no chão e a minha moto ficou muito danificada para poder continuar. Os pneus também estão a melhorar, por isso sinto-me melhor a cada vez que rodo com a moto. Espero continuar os progressos na próxima corrida e obter um bom resultado para mim e para a equipa."

Tags:
MotoGP, 2007, SINOPEC GREAT WALL LUBRICANTS GRAND PRIX OF CHINA

Outras actualizações que o podem interessar ›