Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Hayden: "Este ano não sou o favorito em Laguna Seca"

Hayden: 'Este ano não sou o favorito em Laguna Seca'

O Campeão do Mundo Nicky Hayden não tem tido vida fácil na defesa do título conquistado em 2006, mas o "Kentucky Kid" ainda está a 100% para correr em casa este fim-de-semana em Laguna Seca.

O Campeão do Mundo Nicky Hayden não tem tido vida fácil na defesa do título conquistado em 2006, mas o "Kentucky Kid" ainda está a 100% para correr em casa este fim-de-semana em Laguna Seca.

Apesar de admitir que este ano não se sente favorito à vitória no Red Bull Grande Prémio dos EUA, o jovem de 25 anos está tranquilo e preparado para o desafio de correr atrás do terceiro triunfo consecutivo em casa, principalmente depois de ter assinado dois terceiros postos nas duas últimas corridas, em Assen e Sachsenring…

O início da temporada como Campeão do Mundo de MotoGP não foi fácil para ti, apesar disso parece que a tua situação está a melhorar. Será finalmente a luz ao fundo do túnel?
"É claro que a minha situação melhorou muito. A terceira posição não é a mesma coisa que uma vitória, mas é claro que tem sido divertido voltar a andar na frente e desfrutar da corrida. Tenho de agradecer à equipa, a todos os elementos da Repsol Honda porque sei que tem sido um início de temporada frustrante para nós. Mudámos algumas coisas na moto para me sentir melhor nela e o pessoal está a trabalhar arduamente para me ajudar a fazer o meu melhor. Por isso espero que a partir de agora possa estar com os melhores todas as semanas."

Qual é o segredo que ter permitiu voltar a estar competitivo nestas últimas corridas?
"As sessões de treinos em Barcelona ajudaram muito. Mudar muitas coisas na moto, pequenas coisas, mas também testei o novo chassis e isso ajudou-me a melhorar as sensações com a moto. Consegui rodar muito e penso que não foi nada mais que isso, ser capaz de rodar da forma como gosto. Simplesmente tenho-me sentido muito mais confortável na moto agora, mais confiante."

Podes falar-nos do novo chassis?
"A geometria é a mesma, mas o que mudou foi a flexibilidade. É verdade que o chassis parece ajudar um pouco, mas penso que fizemos mais progressos em todas as outras alterações. É claro que temos de trabalhar muito porque sabemos que ainda temos os resultados que queremos, mas estou desejoso por ver o que a Honda vai fazer porque estou certo que não vão aceitar perder. Eles fazem as melhores motos do mundo."

O teu GP caseiro é já neste fim-de-semana e tens o Número 1 na moto, mas estás a ter uma temporada complicada com apenas dois pódios até ao momento. Pensas que apesar desse mau início de temporada serás o favorito ao triunfo no GP dos EUA?
"Não, não diria que este ano sou favorito. Ainda não ganhei uma corrida este ano. Correr em casa é claro que ajudou no primeiro ano porque mais ninguém conhecia a pista tão bem como eu. Mas agora todos a conhecem e a vantagem que tinha já não conte. Sei que vou ter muitos fãs a apoiarem-me, estou desejoso por ver se consigo voltar a ganhar."

Quando olhas para trás e te recordas onde estavas há 12 meses em comparação com a tua situação actual, o que te passa pela cabeça?
"Não podemos olhar para trás dessa forma. É claro que no ano passado fui para Laguna num momento em que era um orgulhoso líder do Campeonato do Mundo. Mas também fui sob muita pressão porque tinha de ganhar a corrida. Se não conseguisse vencer em casa não seria capaz de lutar forte pelo título. Trabalhei muito durante todo o fim-de-semana e não consegui uma boa posição na gralha, mas no domingo à tarde consegui impor-me e averbar o triunfo depois de difícil corrida."

"Não foi fácil porque larguei de sexto, tive de recuperar, depois tive o Dani a pressionar-me, etc. Não foi uma vitória fácil, apesar de depois o poder ter parecido por ter terminando com tão larga margem sobre o segundo. Mas foi mesmo uma corrida difícil. A preparação física ajudou-me muito e estou muito orgulhoso pela vitória."

Agora estás fora da luta pelo título, como é que vais atacar a segunda metade da temporada?
"Agora os pontos não são muito importantes. Por isso vou apenas tentar divertir-me. Vou-me limitar a correr, trabalhar com a minha equipa e tentar melhorar. Vou atacar as corridas uma de cada vez para conseguir a melhor classificação possível e tentar de alguma forma fazer um final de época mais excitante para mim, lutando por estar entre os da frente e sem me preocupar com pontos. Apenas correr."

Em Laguna Seca um dos teus rivais vai ser o teu próprio irmão Roger Lee Hayden, tens algum conselho para ele?
"Ainda não lhe dei conselho nenhum. Estou certo que assim que lá estivermos as coisas começarem talvez troquemos alguns comentários sobre algumas coisas. Mas o Roger gosta de fazer as coisas à sua maneira. Fomos ao Japão testar, mas choveu a maior parte do tempo. Não posso esperar porque penso que vai ser divertido. Vão também estar presentes outros pilotos da AMA. Isto é bom para os fãs norte-americanos e é uma boa oportunidade para todos."

Depois de ganhares o Campeonato do Mundo, e com tudo o que aconteceu até ao momento esta temporada, pensas que mudaste como piloto?
"Não creio que me tenha esquecido da forma como se corre, ou qualquer coisa desse género. Penso apenas que o problema foi eu não estar satisfeito com a moto. Sinceramente olho-me ao espelho e penso que tenho feito as coisas bem. Ainda me sinto Campeão do Mundo e se tenho este número por algum motivo é."

Cortesia da f Repsol Honda

Tags:
MotoGP, 2007, RED BULL U.S. GRAND PRIX, Nicky Hayden

Outras actualizações que o podem interessar ›