Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pedrosa incapaz de competir devido a problemas de aderência

Pedrosa incapaz de competir devido a problemas de aderência

Depois da primeira vitória num Grande Prémio em mais de um ano em Sachsenring e da forte prestação na qualificação de Laguna Seca, muito se esperava do piloto da Repsol Honda Dani Pedrosa no Red Bull Grande Prémio dos Estados Unidos.

Depois da primeira vitória num Grande Prémio em mais de um ano em Sachsenring e da forte prestação na qualificação de Laguna Seca, muito se esperava do piloto da Repsol Honda Dani Pedrosa no Red Bull Grande Prémio dos Estados Unidos.

Apesar de Pedrosa ter feito excelente largada da segunda posição da grelha para liderar ao longo das três primeiras curvas antes de ser ultrapassado pelo que haveria de se sagrar vencedor da corrida, Casey Stoner, a verdade é que o espanhol foi incapaz de manter o ritmo impressionante do australiano e caiu na classificação ao longo da prova para terminar em quinto.

Só por ter rodado nos limites absolutos é que o espanhol conseguiu acompanhar Stoner nas primeiras voltas e com todos os homens do pódio a rodarem com pneus Bridgestone, os compostos Michelin de Pedrosa não lhe deram a aderência necessária para as 32 voltas da jornada.

Depois de ter ficado a 66 pontos de Stoner na classificação antes da paragem de Verão, Pedrosa comentou: Foi uma corrida muito dura para nós e não estou satisfeito com o quinto lugar depois de ter ganho a corrida anterior e me ter qualificado em quinto aqui. Fiz boa largada e liderei durante parte da primeira volta, mas nunca consegui dar o que queria. Tivemos alguns problemas com os pneus e praticamente desde o início que senti umas vibrações na traseira, que depois aumentaram ao longo da corrida.

Conforme os pilotos foram passando por mim fui tentando ficar com eles, mas era simplesmente impossível teria caído. Por isso limitei-me a concentrar-me e manter-me na moto porque não podia fazer mais que isso. É muito desapontante depois de ganhar na Alemanha e após termos garantido que tínhamos melhorado tudo antes da corrida seguinte.

Pedrosa foi o segundo piloto mais rápido com pneus Michelin, cinco segundos atrás de Valentino Rossi (Fiat Yamaha), também ele a cinco segundos do pódio com o quarto posto. Mas a verdade é que Pedrosa ficou a 35 segundos do vencedor Stoner equipa com borrachas Bridgestone que deu mais um impressionante passo na luta pelo ceptro.

As dificuldades sentidas por Pedrosa, bem como pelos demais pilotos Michelin, levaram Jean-Philippe Weber, responsável do departamento de competição em duas rodas da marca gaulesa, a comentar: Foi uma corrida muito difícil para nós, muito mais que o fim-de-semana passado (na Alemanha). A corrida foi mais de 40 segundos mais rápida que a do ano passado por causa do novo asfalto, que era muito agressivo para os nossos compostos, por isso os nossos pilotos não conseguiram a performance que queriam dos nossos pneus.

A corrida do fim-de-semana passado em Sachsenring colocou mais pressão sob os pneus, bem como temperatura, mas parece que aqui o novo asfalto fez com que os pneus durassem pouco, por isso precisamos de compostos mais duros. Os desgaste foi quase todo na lateral dos pneus, com os da frente a cederem primeiro e depois os de trás.

Tags:
MotoGP, 2007, RED BULL U.S. GRAND PRIX, Dani Pedrosa

Outras actualizações que o podem interessar ›