Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Facto ex-piloto: Masao Azuma

Facto ex-piloto: Masao Azuma

Ao lado de nomes tão ilustres como Sakata, Aoki, Ueda e Ui, Masao Azuma pode, e bem, considerar-se um dos pioneiros do motociclismo japonês.

Ao lado de nomes tão ilustres como Sakata, Aoki, Ueda e Ui, Masao Azuma pode, e bem, considerar-se um dos pioneiros do motociclismo japonês.

Depois de sete anos no topo, Azuma triunfou dez vezes e garantiu mais dez pódios o último foi na molhada corrida de Phillip Island de 2003.

O mestre da chuva de 32 anos foi um dos muitos das 125cc que nunca conquistou um ceptro, mas os seus cinco resultados consecutivos no Top 10 do Mundial de 1998 a 2002 (incluindo quatro entre os cinco primeiros) fizeram com que o dedicado piloto da Honda fosse uma das principais estrelas da categoria.

Teve a melhor temporada em 1999, somando cinco vitórias na primeira metade da época, mas depois apagou-se muito na segunda metade após o famoso embate contra um veado em Brno. Esse mesmo ano assistiu à chegada de Marco Melandri ao panorama mundial com fenomenal sequência de triunfos. Contudo, foi Emílio Alzamora que conquistou o título, apesar de não ter ganho uma única corrida, com Azuma a ser forçado a contentar-se com o terceiro posto atrás de Melandri.

Um dos momentos altos da carreira de Azuma surgiu em 2002 em Suzuki, quando ganhou a corrida de 125cc com Daijiro Kato e Valentino Rossi a fazerem o pleno no pódio para Honda, marca que viria depois a festejar 500 vitórias em Grandes Prémios. O seu último triunfo surgiu 11 corridas mais tarde na molhada tirada do Rio.

Vencedor do Campeonato All Japan GP 125 com pneus Bridgestone em 1996, Azuma voltou a rodar com borrachas da marca em 1998, dando início a longa sequência de sucessos, incluindo a primeira sequência de três vitórias seguidas.

A Bridgestone tinha estado muito active nas 125, dando os primeiros passou rumo a um eventual esforço no MotoGP. As prestações de Azuma convenceram o patrão da marca que era tempo de atacar o desafio da categoria rainha.

Depois de se retirar em 2003, Azuma continua agora a apoiar o esforço da marca de pneus nipónica nos Grandes Prémios, trabalhando agora do outro lado do Pit Wall como Engenheiro de Campo da Bridgestone na Rizla Suzuki, ajudando Chris Vermeulen e John Hopkins a tirarem o máximo dos seus compostos.

Tags:
MotoGP, 2007

Outras actualizações que o podem interessar ›