Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Lorenzo reflecte sobre sucesso e olha para MotoGP

Lorenzo reflecte sobre sucesso e olha para MotoGP

Depois de ter conquistado o segundo título consecutivo de 250cc no passado domingo em Sepang, o piloto da Fortuna Aprilia Jorge Lorenzo regressou a Espanha 24 horas depois para responder a uma série de perguntas sobre o sucesso deste ano e a eminente subida ao MotoGP com a Yamaha em 2008.

Depois de ter conquistado o segundo título consecutivo de 250cc no passado domingo em Sepang, o piloto da Fortuna Aprilia Jorge Lorenzo regressou a Espanha 24 horas depois para responder a uma série de perguntas sobre o sucesso deste ano e a eminente subida ao MotoGP com a Yamaha em 2008.

O motogp.com esteve presente no evento em Barcelona para falar com o Campeão do Mundo de 250cc de 20 anos.

Como é que te sentiste ao cruzar a meta na Malásia?
Quando terminei a corrida e fiz um cavalinho pensei que tinha perdido o terceiro lugar! Depois comecei a pensar em todos os que conheço e tinha a cabeça a mil. A adrenalina ainda corria quando voltei para a box para ver toda a gente. É algo que demora a assentar. O que consegui é muito bom para Espanha e para o desporto espanhol em geral.

Quais são os teus planos imediatos em Espanha agora que ganhaste o título?
Acho que vou estar muito ocupado. Já notei algumas diferenças em relação ao ano passado em termos de vencer o campeonato. No outro dia, na Malásia, havia muitos fãs a pedirem autógrafos, o que não aconteceu tanto no ano passado.

Como é que te vais sentir ao deixares a Aprilia?
Será triste ter de dizer adeus à Aprilia porque foram muito bons para mim, ajudaram-me a tornar-me Campeão do Mundo e uma pessoa melhor de forma geral. Deram-me uma moto vencedora e os melhores tempos da minha vida.

Que recordações especiais vais levar do teu tempo nas 250cc para o MotoGP? Quais são os melhores momentos que tiveste ao longo dos últimos três anos?
Vou certamente lembrar-me de algumas pessoas em particular, de algumas grandes coisas, dois títulos, os fãs que me apoiaram tanto e que me vão continuar a apoiar no resto da minha carreira. Houve momentos inesquecíveis. Também levo algumas placas e parafusos, mas felizmente não muitos. Também fiz alguns grandes amigos nas 250cc.

Vai ser difícil ganhar corridas no MotoGP, depois de teres ganho tantas nas 250cc como é que achas que vais reagir a isso?
Não estou à espera de ganhar corridas no próximo ano. Vou apenas divertir-me apesar de saber que vai ser difícil entrar nos oito primeiros. Se pensarmos nos pilotos contra os quais vou correr no próximo ano, desde o Shinya Nakano ao Valentino Rossi, todos eles já conquistaram pódios e venceram corridas. Há cinco ou seis Campeões do Mundo, por isso batê-los será difícil.

Achas que o facto do Casey Stoner ter ganho dez corridas e o título no segundo ano te coloca mais pressão?
Tenho tido a sorte de estabelecer vários recordes, especialmente quando era novo. Fui o piloto mais jovem a ganhar a Aprilia Cup, o mais novo piloto de sempre no Campeonato do Mundo, um dos mais novos a ganhar um Grande Prémio, um dos mais novos nas 250cc. Mas não demoramos a perceber que o que importa é que os fãs gostam de nós e a forma como o mostram. Ganhar é importante, mas sem fãs não nos sentimos tão bem.

Penso que me dei muito bem nas 250cc, mas é claro que o nível do MotoGP é mais elevado e ainda não estive lá. Tenho de trabalhar muito para me tornar competitivo como piloto de MotoGP e vamos começar agora.

O que pensas por partilhares a box com o Valentino Rossi para o ano?
Ambos teremos o nosso trabalho a fazer. Vamos dar-nos bem juntos.

Pensas que vai haver muitas atenções nas tuas lutas com o Dani Pedrosa? Estás preocupado por poderes causar uma divisão entre os fãs espanhóis?
Do meu ponto de vista isso seria bom. Se os fãs se dividirem entre mim e o Dani Pedrosa seria uma luta amigável que penso que seria boa para o MotoGP.

O que necessitas trabalhar para seres um piloto de sucesso no MotoGP?
Preciso de conhecer a moto e como tirar o máximo partido de estar com a Yamaha. Tenho também de aprender muito sobre os pneus e ver até que ponto posso puxar as coisas. Também necessito de experiência e de um pouco de sorte.

Lorenzo também explicou, depois da conferência de imprensa, que vai regressar à capital maiorquina, Palma, onde deverá ser recebido numa cerimónia oficial pelo governo local.

Tags:
250cc, 2007, POLINI MALAYSIAN MOTORCYCLE GRAND PRIX, Jorge Lorenzo

Outras actualizações que o podem interessar ›