Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Kawasaki acredita ser capaz de ultrapassar dificuldades de temperaturas no Qatar

Kawasaki acredita ser capaz de ultrapassar dificuldades de temperaturas no Qatar

Tendo identificado as baixas temperaturas da pista como factor muito limitador durante os preparativos para a ronda de abertura da época, o Commercialbank Grande Prémio do Qatar, a Kawasaki não está, contudo, muito preocupada.

Tendo identificado as baixas temperaturas da pista como factor muito limitador durante os preparativos para a ronda de abertura da época, o Commercialbank Grande Prémio do Qatar, a Kawasaki não está, contudo, muito preocupada. A nova adição John Hopkins está ainda, segundo o próprio, a 80% um mês depois da operação à virilha, enquanto o outro piloto da Equipa Verde teve um início de teste nocturno com a 800cc no Qatar longe do ideal com uma queda e tempos fora dos dez primeiros nas duas noites de ensaios em Losail.

Não foi fácil para nós, já que com a lesão do John na virilha ainda não podemos progredir tão rapidamente como queríamos, nota Michael Bartholemy, o responsável de competição da equipa.

Esperava melhor prestação geral neste teste, mas sei que podemos melhorar antes da próxima sexta-feira quando começarmos os treinos para a primeira corrida do campeonato. A temperatura da pista não ajuda, já que nos causou alguns problemas com os pneus, mas trabalhamos com a Bridgestone há muito anos e estou confiante que vamos encontrar uma solução para a próxima semana, avaliou o belga.

Enquanto Hopkins se queixou ainda de algumas dores e quer evitar piorar a sua condição com a repetição da queda de 2007 em Losail, o anglo-americano conseguiu, mesmo assim, resolver alguns problemas relacionados com a corrida de domingo. Hopkins apontou ainda o que considera poder ser a chave para a ronda de abertura da temporada; as temperaturas da pista que chegaram a descer até aos 13º.

Os resultados foram positivos porque conseguimos tirar um segundo ao tempo do primeiro dia com pneus de corrida. Também reduzimos o número de pneus que tínhamos disponíveis para nós no início do teste e sabemos o que vamos usar na corrida, disse Hopkins depois do último teste de pré época. Sinto-me confiante e competitivo com borrachas de corrida, se bem que não testei pneus de qualificação hoje. As condições são muito frias na pista, mas é o mesmo para todos; penso que isto será o factor principal durante a corrida.

O companheiro de equipa de Hopkins, Anthony West, também apontou a mesma preocupação, dizendo que os seus tempos lentos se deveram a maiores cautelas.

As baixas temperaturas da pista fazem com que não se possa puxar tanto com pneus de qualificação. Mas quando levamos as coisas na calma na volta de saída o pneu frontal arrefece do lado esquerdo, o que é um grande problema quando chegamos à curva 2 na volta lançada, explicou o australiano.

Vi alguns pilotos a caírem aí durante a última hora do teste e com a corrida apenas a uma semana não queria sofrer a mesma sorte por puxar demais. Basicamente, foi por isso que não melhorei os meus tempos como seria de esperar com pneus de qualificação.

Enquanto Hopkina rumou para o Dubai para curto período de descanso com a nova mulher Ashleigh, West e o patrão da equipa optaram por visitar a Federação Náutica do Qatar e assistir ao Grande Prémio do Qatar de Powerboat. O australiano foi convidado a dar a bandeirada de início da corrida, além de ter dado uma volta num dos barcos.

Tags:
MotoGP, 2008, Kawasaki Racing Team

Outras actualizações que o podem interessar ›