Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Weber avalia desafio da Michelin antes de abertura da época no Qatar

Weber avalia desafio da Michelin antes de abertura da época no Qatar

Depois de informativa e bem sucedida visita de testes ao Circuito Internacional de Losail no final da semana passada, a Michelin está a prepara-se para o início da época este fim-de-semana, quando a acção verdadeiramente começar com o Commercialbank Grande Prémio do Qatar.

Depois de informativa e bem sucedida visita de testes ao Circuito Internacional de Losail no final da semana passada, a Michelin está a prepara-se para o início da época este fim-de-semana, quando a acção verdadeiramente começar com o Commercialbank Grande Prémio do Qatar.

A histórica corrida a ser disputada à noite vai ver os fornecedores de pneus a terem de fazer ajustes específicos devido às baixas temperaturas, como ficou patente durante o teste nocturno que antecipou a primeira ronda do ano no circuito do deserto.

Enquanto o atarefado período de testes de Inverno viu Dani Pedrosa (Repsol Honda) contrair uma desafortunada lesão, outros pilotos da Michelin de 2008 – Randy de Puniet (Honda LCR), Colin Edwards (Tech3 Yamaha) e Nicky Hayden (Repsol Honda) – mostraram sinais positivos antes do início da campanha.

É claro que o fabricante de compostos gaulês reduziu a lista de pilotos este ano, mas com os estreantes Andrea Dovizioso (JiR Team Scot), Jorge Lorenzo (Fiat Yamaha) e James Toseland (Tech3 Yamaha) a constarem também dos seus livros antevêem-se tempos emocionantes pela frente. Especialmente tendo em conta as fortes prestações dos dois últimos na derradeira sessão de testes da passada sexta-feira à noite em Losail.

A Michelin está a fazer grandes esforços para ser mais competitiva esta temporada e centrou-se especialmente no aquecimento dos pneus, amplitude de funcionamento, aderência lateral e tracção ao longo do Inverno. A marca vai fornecer dois perfis diferentes, os 16" frontais e os 16,5" e 16" traseiros.

Vencedora de três das quatro corrida de MotoGP disputadas no Qatar, a Michelin tem os conhecimentos necessários para garantir bem sucedido regresso na noite de domingo, se bem que, é claro, as condições pouco usuais representarão um desafio único para pilotos, equipas e técnicos de pneus.

O responsável do departamento de competição em duas rodas da Michelin, Jean-Philippe Weber comentou: "Do ponto de vista dos pneus, uma corrida nocturna muda tudo. Durante o dia Losail pode ser muito quente, com temperaturas da pista muito elevadas. Mas de noite vai ser muito frio. Na teoria isto torna a pista menos exigente para os pneus, mas isso não significa que vai ser mais fácil para nós."

"Temos de lidar com um conjunto de circunstâncias totalmente diferentes e, como é habitual, o nosso trabalho será encontrar o melhor equilíbrio de pneus para responder às condições. A pista vai estar muito mais fria, o que torna o aquecimento dos pneus muito importante. Mas não só, a temperatura da pista vai baixar de forma gradual com o desenrolar da corrida, o que é o oposto do que acontece quando corremos de dia."

"Depois há ainda a possibilidade dos ventos nocturnos trazerem areia para a pista, o que pode afectar muito o desgaste dos pneus, uma vez que o asfalto se converte numa espécie de lixa. Este é um problema particular porque o vento pode mudar de repente e de forma inesperada. Também há a possibilidade da pista ficar molhada com a formação de geada, o que pode ser outro problema. Por isso vai ser um fim-de-semana muito atribulado para nós."

Tags:
MotoGP, 2008, Commercialbank GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›