Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pedrosa aproveita bom tempo para garantir a melhor marca provisória no Estoril

Pedrosa aproveita bom tempo para garantir a melhor marca provisória no Estoril

Dani Pedrosa subiu meteoricamente de 16º para primeiro na segunda sessão de treinos livres do MotoGP, aproveitando o facto da pista ter secado e concluindo assim da melhor forma as sessões de treinos do primeiro dia do bwin.com Grande Premio de Portugal.

Dani Pedrosa subiu meteoricamente de 16º para primeiro na segunda sessão de treinos livres do MotoGP, aproveitando o facto da pista ter secado e concluindo assim da melhor forma as sessões de treinos do primeiro dia do bwin.com Grande Premio de Portugal.

O piloto do team Repsol Honda vencedor da última corrida disputada em Jerez de La Frontera garantiu a melhor marca, rodando em 1'38,507, passando a comandar as operações à frente da Fiat Yamaha de Valentino Rossi, mas apenas com um décimo de segundo de vantagem sobre o italiano.

Rossi acabou por ser o único piloto equipado com pneus Bridgestone a figurar nos seis primeiros, já que os restantes fazem todos parte das equipas calçadas com Michelin, mais à vontade nos pisos molhados que antecederam esta sessão do que nas voltas que deram a polé provisória a Pedrosa. A disparidade de tempos verificada entre as marcas equipadas com os pneus japoneses e franceses, só por causa das diferentes condições atmosféricas, fazem destas o factor de decisão mais importante quer no que respeita à qualificação de sábado, quer ainda no que se refere à corrida de Domingo.

Rossi não demonstrou quaisquer efeitos negativos após a sua queda desta manhã com a Yamaha M1, já que continuou capaz de fazer um bom tempo e rodar nada menos que 26 voltas sem problemas. A segunda Yamaha mais rápida apenas quarto décimas de Segundo mais lenta, foi a Tech 3 de Colin Edwards. O texano e o seu companheiro de equipa James Toseland têm evoluções de ignição à sua disposição – nomeadamente uma nova válvula pneumática para o motor – que talvez traga alguma vantagem para ambos.

O companheiro de Edwards, pole position em 2007, Nicky Hayden foi o quarto mais rápido apesar de quase ter saído de pista por duas vezes nesta sessão. Nessa altura era o mais rápido em pista, à frente de Jorge Lorenzo, o homem da pole nas duas primeiras corridas da época.

Andre Dovizioso conseguiu ser de novo o mais rápido entre os participantes das equipas satélite da Honda, com a sua JiR Team Scot RC212V, ao passo que o Campeão do Mundo em título, Casey Stoner, não foi além do sétimo lugar. O australiano passou por algumas dificuldades com a sua Ducati Desmosedici GP8, incluindo uma aparatosa queda, logo na volta inicial.

A San Carlo Honda Gresini Honda de Shinya Nakano, a LCR Honda de Randy de Puniet e a estrela da Kawasaki John Hopkins foram os últimos a conseguirem rodar em a um segundo que Pedrosa, com Loris Capirossi a fechar o Top-Ten, aos comandos da Suzuki GSV-R.

De Puniet saiu da pista durante a sessão e a máquina de Toni Elias acusou bastantes problemas. O piloto do Alice Team também caiu da sua Ducati, e foi incapaz de completar mais do que dez voltas à pista que o viu vencer pela primeira e única vez no MotoGP em 2006.

Tags:
MotoGP, 2008, bwin.com GRANDE PREMIO DE PORTUGAL, FP2

Outras actualizações que o podem interessar ›