Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Capirossi quer melhorias significativas depois de Indianápolis

Capirossi quer melhorias significativas depois de Indianápolis

O piloto da Rizla Suzuki Loris Capirossi ficou contente por terminar o fim-de-semana depois de ter lutado muito na corrida de domingo do Red Bull Indianápolis Grande Prémio.

Apesar da experiência de 277 Grandes Prémios e da capacidade de adaptação demonstrada ao rodar em cinco marcas diferentes ao longo dos seus 19 anos de competição no Campeonato do Mundo, Loris Capirossi não se deu bem com o desconhecido de Indianápolis.

Conhecer esta nova pista enquanto a chuva e vento se abatiam sobre Indianápolis revelou-se tarefa difícil para o veterano italiano, que procura melhorar a sua posição na classificação nas últimas corridas do ano depois de algumas lesões inesperadas no ano de estreia com a Rizla Suzuki.

Depois de se qualificar em 13º na primeira visita à IMS, o fim-de-semana de Capirossi foi de mal a pior, com o italiano a ser último após a primeira curva da corrida molhada de domingo.

O piloto de 35 anos conseguiu passar três rivais com o desenrolar da corrida, mas terminou fora dos pontos, em 16º, quando a bandeira vermelha foi apresentada e a Direcção de Corrida decidiu terminar a corrida devido ao vento forte.

Em conversa com o motogp.com depois da corrida, Capirossi comentou: `Foi um fim-de-semana mesmo estranho para mim, nunca encontrei uma boa afinação. O tempo mudava a cada cinco minutos e nunca tive tempo de trabalhar na moto. Durante o warm up estava seco e depois na corrida estava péssimo.´

`Não começou muito mal e depois alguém me colocou de fora e era último na primeira curva. Tentei recuperar algumas posições, mas a corrida foi mesmo má, por isso estou contente por o fim-de-semana ter terminado.´

Uma má sequência de resultados neste final de época pode levar Capirossi a terminar fora dos 12 primeiros, enquanto um bom conjunto de corridas o pode levar com facilidade a sétimo ou oitavo – de tal forma a competição está serrada na classificação geral.

Capirossi ainda só somou um pódio este ano, com o terceiro lugar em Brno, em contraste com os quatro de 2007 na última época com a Ducati. Na verdade, a sua única vitória de 2007 teve lugar precisamente no circuito que se segue no calendário de 2008, uma pista onde já venceu por três vezes – Motegi.

O seu impressionante recorde no traçado nipónico significa que Capirossi vai em busca de um resultado para dar a volta à época, o que o leva a dizer: `Tenho boas memórias de Motegi, ganhei as últimas três corridas lá, por isso vai ser bom ir lá e tentar o meu melhor de novo.´

As melhorias na GSV-R800 vão continuar até ao final da época, mas Capirossi só vai rodar com a Suzuki de 2009 no final da temporada. Ele explicou: `Temos de trabalhar muito, especialmente na gestão do motor, chassis e vamos continuar com esta mota até final do ano. Depois, a partir de Valência, é que vamos ter a nova moto para começarmos a trabalhar para o próximo ano.´

Enquanto isso, fora da pista, a Suzuki anunciou esta semana que Capirossi vai trocar as duas rodas, pelas quatro no final da época de MotoGP quando alinhar no Suzuki Tempest Rally na Grã-Bretanha, a oito de Novembro de 2008.

Tags:
MotoGP, 2008, Loris Capirossi, Rizla Suzuki MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›