Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone e Michelin preparam-se para o calor de Sepang

Bridgestone e Michelin preparam-se para o calor de Sepang

O calor do circuito de Sepang exige algumas diferenças específicas no que toca à construção de pneus apresentadas pela Bridgestone e Michelin aos pilotos de MotoGP.

Sepang foi sempre um circuito distinto no calendário e a suas elevadas temperaturas não podiam ser mais opostas às frias temperaturas de Phillip Island. Enquanto a humidade nunca se apresentou como uma surpresa para os fabricantes de pneus, o novo asfalto colocado antes da prova do ano passado apresentou um factor de desconhecido antes do Polini Grande Prémio da Malásia. Com esse piso agora a ser conhecido pela Bridgestone e Michelin, esperam-se tempos por volta ainda mais rápidos.

`O circuito recebeu asfalto novo para a corrida do ano passado, o que foi o um desafio novo para nõs, mas a prestação de corrida mostrou bom ritmo e consistência ao longo de todo o pelotão e foi uma corrida competitiva,´ diz Tohru Ubukata, da Bridgestone.

`O desenho da pista também requer muita potência do motor e boa estabilidade de travagem por parte das motos, já que os pilotos travão a partir de velocidades superiores a 300 km/h. É também uma das pistas mais quentes onde corremos, com temperaturas a irem além dos 50ºC.´

`Por este motivo, temos de olhar para a zona central do pneu com atenção por causa da pressão que lhe é colocada e também devido ao tempo que os pilotos rodam com a moto direita ao longo de cada volta.´

Jean-Philippe Weber, da Michelin, também reconhece as exigências apresentadas aos pneus devido ao calor, mas revela que não haverá muitas diferenças em termos de construção dos pneus traseiros quando comparado com os usados há duas semanas.

`Esperamos que o asfalto seja menos exigente que no ano passado porque Sepang é muito usado para corridas, testes e outras actividades. Os pilotos usam construções traseiras similares às de Phillip Island, com compostos diferentes adaptados a estas condições especiais. A aderência lateral e tracção são muito importantes em Sepang, que tem algumas curvas longas. Os pneus têm de dar uma prestação consistente ao longo dessas curvas durante a corrida,´ diz Weber antes da última corrida da Michelin no Pacífico com o MotoGP.

`O pneu frontal sofre claramente mais em Sepang que em Phillip Island, com muitas travagens fortes vindos de altas velocidades, por isso os pilotos necessitam de um frontal de construção mais dura para esta corrida, algo como o que usaram em Motegi e Xangai, pistas onde também há muitas travagens fortes.´

A escolha de um só fabricante de pneus será anunciada na Malásia, se bem que só a Bridgestone apresentou proposta para assumir esse papel.

Tags:
MotoGP, 2008, POLINI MALAYSIAN MOTORCYCLE GRAND PRIX

Outras actualizações que o podem interessar ›