Compra de bilhetes
VideoPass purchase

De Angelis de olhos no segundo teste de 2009

De Angelis de olhos no segundo teste de 2009

O jovem talento de São Marino da San Carlo Honda Gresini, Alex de Angelis, está pronto para o segundo teste de MotoGP deste ano que se disputa no Qatar a partir de domingo.

A preparar-se para a sua segunda sessão de testes do ano na categoria rainha, Alex de Angelis está consciente que a pressão está do seu lado neste ano após inconsistente campanha de estreia no MotoGP.

O homem de São Marino, que hoje (quinta-feira 26 de Fevereiro) faz 25 anos, deu os seus pontos de vista ao motogp.com no que toca ao que tem de conseguir atingir no próximo teste do Qatar que começa no domingo.

Apesar de no primeiro teste do ano na Malásia De Angelis ter terminado em 12º nas tabelas de tempos, o jovem está optimista quanto ao potencial da sua nova RC212V, bem como às suas perspectivas pessoais para esta época de MotoGP.

“É sempre difícil tirar conclusões concretas após apenas um teste. A Honda forneceu-nos um moto totalmente nova em comparação com a do ano passado, com o motor de válvula pneumática, novo chassis e novos pneus, o que faz com que seja difícil sabermos onde estamos neste momento,” disse De Angelis de forma filosófica.

“Uma coisa que sabemos de certeza é que a velocidade de ponta aumentou, o que é obviamente um passo positivo,” acrescentou o piloto Gresini. “Agora temos de ir para outro circuito confirmar o que vimos até ao momento.”

As prioridades para De Angelis no Circuito Internacional de Losail, no teste nocturno que se segue, serão a obtenção de mais experiência com a nova geração de pneus Bridgestone e a realização da muito importante simulação de corrida.

Ele explicou: “Temos de fazer a distância de corrida, já que não o fizemos na Malásia. Vamos fazer a simulação de corrida pelo menos uma vez, talvez duas se necessário, para podermos medir a prestação dos novos compostos sob pressão. Já temos boas sensações com os Bridgestone e estou a trabalhar com os mesmo técnicos do ano passado, o que é bom. Os novos pneus são ligeiramente diferentes, mas isso é uma problema mais para os pilotos que no ano passado rodavam com a Michelin.”

De Angelis também se está a habituar ao novo limite de rotações do motor de válvula pneumática na sua RC212V satélite e, como todos os outros pilotos de MotoGP, vai adaptar-se a novo programa dos fins-de-semana de GP devido à recente redução do número de treinos.

“Sou um piloto satélite, pelo que tenho de ter cuidado com o material que tenho, que não é mesmo que o dos pilotos de fábrica, incluindo as actuais limitações do meu motor. Tenho de ser o melhor dos pilotos satélite e ver se consigo receber melhorias da Honda o mais depressa possível. Queremos sempre o melhor material, mas temos de merecê-lo,” afirmou.

Sobre a redução das sessões de treinos, com o objectivo de reduzir os custos no MotoGP, De Angelis concluiu: “Enquanto pilotos queremos sempre o máximo de tempo possível na moto. Ter menos tempo para treinar vai restringir-me, bem como aos outros pilotos. Mas sabemos que os tempos não são os melhores em termos financeiros, pelo que com qualquer mudança nos regulamentos o mais importante é que são iguais para todos.”

Tags:
MotoGP, 2009, Alex de Angelis, San Carlo Honda Gresini

Outras actualizações que o podem interessar ›