Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Capirossi triste com queda na primeira jornada

Capirossi triste com queda na primeira jornada

Depois de ter caído no Qatar Loris Capirossi sentiu pena por ter estragado o árduo trabalho levado a cabo pela sua equipa Suzuki ao longo de Inverno. O seu companheiro de equipa Chris Vermeulen, por seu lado, animou o espírito da formação ao terminar em sétimo.

O veterano italiano da Rizla Suzuki, Loris Capirossi, teve uma noite para esquecer no Commcerciablnak Grande Prémio do Qatar de segunda-feira ao iniciar a sua 20ª época no Campeonato do Mundo com uma desistência na sequência de queda a alta velocidade.

A começar a primeira corrida da categoria rainha desde a nona posição da grelha em grande estilo, Capirossi era segundo na primeira curva e manteve a posição ao longo das primeiras voltas.

Com o progredir da prova a aderência frontal deu indícios de dramática perda ao cabo de sete voltas e teve sorte de sair ileso do espectacular acidente – já que perdeu a frente da sua muito melhorada Suzuki GSV-R durante o Inverno.

Arrependido, Capirossi reflectiu: “Tenho muita pena por toda a equipa porque trabalhámos arduamente durante todo o Inverno e estivemos muito bem, pelo que foi muito duro aceitar isto. Foi mesmo muito estranho hoje porque os nossos treinos foram bons, mas no warm-up desta noite tive um grande problema de vibração, o que não aconteceu ao longo de todo o fim-de-semana e depois durante a corrida foi a mesma coisa.”

“O pneu frontal também não funcionou de forma normal, tinha feito 25 ou 30 voltas com o mesmo pneu sem problemas e senti-me sempre bem com ele, mas hoje, ao cabo de apenas cinco voltas, parecia estar destruído! Esta corrida já faz parte da história agora e temos de nos concentrar na próxima e ver por que motivo as coisas correram como correram hoje.”

O Director Desportivo de Capirossi na Rizla Suzuki, Paul Denning, ficou à procura de respostas para o comportamento da moto e pneus, isto apesar de Chris Vermeulen ter terminado em sétimo. Um conjunto de resultados que levou Denning a afirmar: “Não há dúvidas que ficar foi a melhor decisão para o MotoGP e correr aqui no Qatar à noite, mas infelizmente a nossa moto funcionou de forma muito diferente do resto do fim-de-semana para ambos os pilotos.”

“Tivemos uma grave falta de aderência frontal e muitas vibrações que restringiram os nossos dois pilotos. É claro que alguns concorrentes foram muito menos afectados pelas diferentes condições e a nossa equipa – e fábrica – vai trabalhar muito para compreender a diferença de prestações entre esta noite e o resto do fim-de-semana.”

Tags:
MotoGP, 2009, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR, Loris Capirossi, Rizla Suzuki MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›