Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Canepa continua confiante depois de difícil estreia

Canepa continua confiante depois de difícil estreia

O talentoso estreante do MotoGP Niccolò Canepa, da Pramac Racing, já antecipa com muita animação a corrida do Japão após ter debutado no Qatar.

Sem anterior experiência em Grandes Prémios, a corrida de abertura do MotoGP adiada para a noite de segunda-feira foi um baptismo de fogo para Niccolò Canepa no Commercialbank Grande Prémio do Qatar já que nunca esteve no ritmo e acabou por cruzar a linha de meta fora dos pontos, em 17º.

O simples facto de ter ganho experiência e de ter terminado a primeira corrida da carreira já justificou a visita ao Circuito Internacional de Losail para o piloto satélite da Ducati que largou de último da grelha. A complicada visita de testes no início de Março já tinha dado a Canepa uma ideia do que iria ter pela frente, mas ele recusa-se a ficar desmoralizado depois da primeira jornada do ano.

Avaliando a situação com calma e pragmatismo, ele disse ao motogp.com esta semana: “As coisas não nos correram muito bem. Mas no teste aqui estava a faltar-nos alguma coisa para rodarmos nos dez primeiros e isso confirmou-se na corrida com o ritmo que foi imposto. Viemos para aqui tranquilos e confiantes, mas as coisas não correram como queríamos.”

Ele continuou: “Não podemos colocar as culpas na moto porque isso é apenas metade do problema e temos de trabalhar arduamente para conseguirmos as sensações certas com a máquina. Assim que encontrarmos a afinação base certa pra nós não teremos de fazer mudanças drásticas durante o resto da época, isso é algo que tenho visto nos outros pilotos. Estudámos todos os dados no final da corrida para vermos o que correu bem e o que correu mal e agora podemos concentrar-nos em não repetir erros, mas é claro que tenho de concentrar na pilotagem simples, sem me preocupar muito com o acerto da moto.”

O jovem de 20 anos que vem para o MotoGP depois da sua experiência como piloto de testes da Ducati não alinhava numa corrida há cerca de um ano, pelo que o simples facto de voltar a correr foi muito emocionante.

“Já tinha saudades de correr, pelo que foi muito excitante,” disse Canepa, que no passado competiu nas Supersport 1000 e Supersport 600. “Gostei muito, especialmente das últimas dez voltas porque segui o James Toseland e aprendi muito. Queria tentar ultrapassá-lo no final, mas não foi possível. O importante foi não ter rodado sempre sozinho porque isso não me teria ensinado muito.”

Antecipando a ronda do Japão Canepa disse: “Primeiro tenho de conhecer a pista quando lá chegar. Sei que vai ser difícil porque já conhecia Losail antes do Grande Prémio, mas em Motegi vou ter de acostumar o mais depressa possível e depois dar o meu melhor.”

Tags:
MotoGP, 2009, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR, Niccolo Canepa, Pramac Racing

Outras actualizações que o podem interessar ›