Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Capirossi e Denning revêem corrida repleta de acção

Capirossi e Denning revêem corrida repleta de acção

Os dois pilotos da Rizla Suzuki desempenharam papeis muito importantes na corrida de Itália, mas Loris Capirossi e Chris Vermeulen acabaram por terminar em quinto e 11º, respectivamente.

Loris Capirossi estava determinado a levar a cabo boa prestação para os seus fãs em Itália no domingo e durante várias voltas pareceu estar em boa posição para lutar pela vitória em Mugello antes de começar a perder rendimento nas duas últimas voltas para terminar em quinto.

O italiano reflectiu sobre a sua sorte depois de brilhante esforço na segunda metade da corrida, salientando que a Suzuki GSV-R ainda se debate com alguma falta de velocidade para responder aos protótipos dos seus rivais de MotoGP.

Apenas duas Honda satélite e a Kawasaki de Marco Simoncelli apresentaram velocidades de ponta inferiores que as Suzuki na pista italiana, pelo que Capirossi espera que o novo motor que vai receber na Catalunha dentro de duas semanas resolva o problema, já que não conseguiu lutar de igual para igual com a Ducati de Casey Stoner, as Fiat Yamaha de Jorge Lorenzo e Valentino Rossi e a Honda de Andrea Dovizioso nos momentos finais da corrida italiana..

“Dei o meu melhor, mas as condições eram algo estranhas e penso que tomei a decisão certa em relação à altura de trocar para a moto com slicks,” disse Capirossi no final de mais uma corrida molhada e seca. “Depois o meu ritmo esteve mesmo muito bom e constante. Tentei manter-me em contacto com o Casey (Stoner) e, apesar da moto ter estado de forma geral, estávamos a perder por causa da velocidade de ponta, pelo que estou desejoso pelo novo motor em Barcelona.”

O Director Desportivo de Capirossi Paul Denning afirmou: “Teria sido bom se tivesse sido uma corrida de apenas 21 voltas porque isso teria dado ao Loris um muito merecido pódio. Ele trabalhou arduamente, mas não tivemos a velocidade necessária para nos mantermos à frente dos nossos rivais. Assim que eles passam por nós na recta é difícil voltar a apanhá-los numa pista molhada e seca sem velocidade de ponta, pelo que é algo em que temos de trabalhar.”

Tendo visto o companheiro de equipa de Capirossi, Chris Vermeulen, fazer uma fantástica largada para lidera a prova na primeira volta depois de partir de 11º da grelha no molhado para depois cair na classificação na segunda metade da corrida disputada no seca, Dening comentou também: “As partidas nunca foram o forte do Chris, mas este ano resolveu esse problema. Vir de 11º para a liderança numa volta foi fantástico e ele deu mesmo tudo. Temporizou bem a paragem dele na box, mas a diferença entre ele e o Loris nos slicks, particularmente no final da corrida, foi muito grande. É algo que temos de ver com ele.”

Questionado sobre se acredita que o novo motor causará impacto imediato nos resultados na Catalunha, Denning respondeu: “Só temos os dados e não quero dizer muito até termos o bloco colocado no chassis porque só nessa altura é que vamos saber.”

Tags:
MotoGP, 2009, GRAN PREMIO D'ITALIA ALICE, Loris Capirossi, Rizla Suzuki MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›