Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Valentino Rossi em Sepang

Valentino Rossi em Sepang

O Campeão do Mundo dá uma entrevista enquanto se prepara para o início da época de 2010 e para mais uma defesa do título.

Enquanto Valentino Rossi se prepara para ir para a pista na Malásia para o primeiro teste oficial de MotoGP deste ano, o motogp.com aproveitou para falar com o italiano sobre vários assuntos.

O que fizeste no defeso? Quanto tempo treinaste e quanto tempo estiveste de férias?
Foi 50/50, entre férias e treino. O treino durante o Inverno é diferente em comparação com o Verão, mas é melhor não parar de treinar – torna o regresso à acção mais difícil.

Como te preparas para uma nova época? É mais importante trabalhar na forma física?
A preparação física é muito importante para o MotoGP porque precisamos de força e resistência para corridas de 45 minutos, pelo que treino no ginásio, como é habitual, mas ao mesmo tento também tento treinar de moto, seja Motocross ou Supermotard, para não perder a sensibilidade com o acelerador e o travão.

Com quase 31 anos de idade pensas que ainda estás a melhorar como piloto, ou pensas que chegaste ao pico dos teus talentos?
A 16 de Fevereiro faço 31 anos! Se pensarmos que estamos no topo temos um grande problema porque temos sempre de melhorar o nosso estilo e velocidade e tentar adaptar-nos à nova moto, novos pneus e novos regulamentos e tentar ser um pouco mais rápidos que no ano anterior.

Quem pensas que será mais difícil esta época - Jorge Lorenzo, Casey Stoner ou Dani Pedrosa? Porquê?
É muito difícil compreender quem será o principal rival em 2010 porque o Jorge, o Stoner e o Pedrosa demonstraram todos no passado que são capazes de ganhar Campeonatos, são rápidos em todas as condições, em todas as pistas e ao longo da época. Também temos de esperar para ver quais os níveis das motos em 2010, mas penso que os três serão difíceis de bater.

Não fizeste segredo em relação ao facto de não gostares da nova regra de motores que limita o número de blocos que podem ser usados este ano. Se pudesses, como é que a mudavas?
Penso que será uma regra complicada para todos porque seis motores apenas para uma temporada não é o suficiente – é muito apertado. Se tivéssemos oito, ou dez, seria mais fácil e menos arriscado. Mas a regra não é esta, pelo que todos os fabricantes vão ter de se adaptar a esta regra e os pilotos também vão ter de prestar atenção e tentar poupar os motores ao longo do final da época.

No ano passado cometeste mais erro que aqueles a que estamos acostumados a ver em ti. Pensas que isso se deveu à forma como os teus rivais te deram luta?
Em 2009 cometi três erros em corrias. É muito, mas dois deles deveram-se ao facto de estar com slicks em condições de chuva. Depois do erro de Indianápolis, que foi o pior da época, vamos tentar fazer muito melhor em 2010.

Quais foram os desenvolvimentos que pediste para a M1 para esta época?
Tentámos melhorar a M1 de duas formas. Primeiro no chassis: tentámos melhorar a estabilidade da M1 e criar mais aderência. O segundo melhoramento foi no motor porque precisamos de mais um pouco de potência. Ao mesmo tempo, temos de nos ajustar a trabalhar com seis motores para 18 corridas. Por isso precisamos de um pouco mais de potência mas, ao mesmo tempo, de mais durabilidade do motor.

Qual é a tua opinião sobre o Ben Spies? Achas que pode ameaçar os actuais quatro melhores, como muitos dizem que fará?
Há muitas pessoas que querem ver o que o Ben Spies é capaz de fazer, qual o nível dele. É o Campeão do Mundo de Superbikes, pelo que será interessante vê-lo no MotoGP. Penso que o bem tem muito potencial, é um bom piloto, rápido e corajoso. Mas espero que seja um pouco mais lento que eu, o Jorge, o Stoner e o Pedrosa porque quatro já é muito!

O que pensas do regresso dos motores de 1.000cc dentro de duas épocas? É um projecto que te faça querer continuar no MotoGP ainda por mais tempo?
Será interessante e estou muito contente porque gostei dos 1.000cc no ano passado. Agora temos de compreender as regras destas novas motos e motores e ver se é possível construir um motor que seja rápido e divertido de pilotar como em 2006.

Após o teu recente teste com a Ferrari F1 as pessoas voltaram a perguntar se vais para a F1. O que dizes em relação a isto e o que esperas da Ferrari este ano?
Completei mais um teste com a Ferrari F1 em Barcelona e foi fantástico. Gostei muito e fiz alguns bons tempos por volta, mas penso que será muito difícil verem-me na F1.

O que pensas do regresso do Schumacher à F1?
Creio que será interessante ver a velocidade dele depois de três anos parado.

O que o Schumacher está a fazer é algo que te poderíamos ver a fazer; isto é, deixar o MotoGP por uns anos e depois voltar, ou pensas que quando saíres será de vez?
É uma pergunta difícil, não sei. Há muitos grandes desportistas que regressão, como o Michael Jordan ou o Lance Armstrong.

Quando vais tomar uma decisão em relação ao teu futuro?
Penso que será mais ou menos pelo Verão. É possível que nessa altura venha a decidir como será 2011 para mim.

Podes levantar um pouco o véu em relação aos teus planos?
Ainda não decidi o meu futuro.

Tags:
MotoGP, 2010, Valentino Rossi, Fiat Yamaha Team

Outras actualizações que o podem interessar ›