Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Rossi celebra 31º Aniversário

Rossi celebra 31º Aniversário

O Campeão do Mundo de MotoGP Valentino Rossi faz hoje, 16 de Fevereiro, 31 anos, isto enquanto se prepara para a 15ª época no Campeonato do Mundo.

Em 2009 Valentino Rossi somou o nono título mundial, sétimo na categoria rainha, enquanto deu continuidade à sua incrível carreira no Campeonato do Mundo que, até ao momento, se estende já ao longo de 14 temporadas. Fazendo hoje 31 anos, Rossi não mostra sinais de abrandar em busca de mais sucessos.

Conquistando o título do ano passado numa das suas mais duras épocas até ao momento, o italiano somou seis vitórias numa temporada que viu o próprio italiano e os seus rivais cometerem erros enquanto puxavam uns pelos outros até aos limites. O duelo de Rossi com o companheiro de equipa Jorge Lorenzo atingiu proporções épicas na Batalha de Barcelona e que vai ficar na história como uma das maiores de sempre, com Rossi a sair triunfante com uma audaciosa manobra na última curva que o viu vencer por milésimos de segundo.

A sua incrível sequência de vitórias em Mugello chegou ao fim, mas compensou isso com mais uma prestação perfeita em casa, em Misano, quando também garantiu uma das suas sete poles. A vitória na Holanda foi a 100ª da carreira e garantiu finalmente o título em Sepang e vai apresentar-se em força na época de 2010 enquanto tenta reclamar o 10º ceptro.

Nascido em Urbino, Itália, a 16 de Fevereiro de 1979, Rossi começou a andar de moto ainda muito jovem sob a influência do pai, Graziano, um antigo vencedor de Grandes Prémios. Rossi Júnior começou no Karting, mas não demorou a mudar para as mini-motos e sagrou-se campeão regional em 1992. Foi rápido a subir pelos escalões, vencendo o Campeonato de Itália de Sport Produção em 1994 e o Campeonato de Itália de 125cc de 1995 (além de ter sido 3º no Campeonato da Europa), e no ano seguinte estreou-se no Campeonato do Mundo.

Disputou o primeiro Grande Prémio na Malásia, e Rossi terminou a época em nono, depois de ter ganho a primeira corrida em Brno. No ano seguinte tornou-se no mais jovem piloto a vencer o Campeonato do Mundo de 125cc, triunfando em 11 corridas pelos caminho com a Aprilia. Repetiu o feito nas 250cc, sendo segundo no primeiro ano na categoria antes de sagrar-se Campeão do Mundo em 1999, uma vez mais com a Aprilia.

Em 2000 iniciou nova fase na carreira quando juntou forças com a Honda nas 500cc. Como nas 125cc e 250cc, Rossi necessitou apenas de uma época para se acostumar e terminou em segundo na temporada de estreia na categoria rainha ao vencer duas corridas e terminar no pódio por dez vezes. Na época seguinte Rossi foi coroado como último Campeão do Mundo da era das 500cc ao vencer em 11 corridas ao longo do ano, dando início a uma sequência de cinco ceptros consecutivos na categoria rainha depois de bater o rival Max Biaggi.

Apresentando-se dominante, Rossi voltou a sagrar-se Campeão do Mundo em 2002 ao adaptar-se sem problemas às 4 tempos, selando o título com a vitória no Rio de Janeiro e terminando o ano com 11 vitórias e um total de 15 pódios em 16 corridas.

Em 2003 completou o feito de terminar no pódio em todas as corridas da campanha (16) e marcou a quarta e última época com a Honda com a terceira coroa. Por esta altura as suas animadas celebrações eram já uma imagem de marca.

Rossi fez história ao passar para a Yamaha em 2004 e vencer o Grande Prémio de abertura do ano na África do Sul, tornando-se no primeiro piloto na história do desporto a vencer duas corridas consecutivas na categoria rainha com construtores diferentes. Ele venceu nove das 16 corridas da campanha para reclamar o ceptro de Campeão do Mundo — o primeiro da Yamaha em 12 anos — com a vitória no penúltimo Grande Prémio em Phillip Island. O triunfo final no Grande Prémio de Valência também garantiu à Yamaha a coroa de Equipas.

Dominou a época de 2005, vencendo 11 corridas no total, somando cinco poles e ficando fora do pódio apenas por uma vez. Ao fazê-lo Rossi tornou-se num dos cinco pilotos na história do desporto a vencer o título da categoria rainha por cinco vezes. Ele também ajudou a Yamaha a vencer os ceptros de Construtores e Equipas, garantindo que a marca dos três diapasões tivesse no ano do 50ª Aniversário um dos seus melhores nos Grandes Prémios.

Já em 2006 Rossi terminou como vice-Campeão do Mundo pela segunda vez na sua carreira na categoria rainha, perdendo o título para Nicky Hayden, da Honda, por apenas cinco pontos depois de um embate final em Valência. Ainda assim, Rossi somou cinco vitórias e um total de dez pódios.

O italiano somou quatro vitórias em 2007 e vários pódios naquele que foi um dos mais duros anos de Rossi, já que se debateu com dificuldades técnicas e problemas de pneus, além de azar. O italiano perdeu o lugar de vice-Campeão por apenas um ponto após a última corrida ter sido afectada por lesão e o terceiro posto final foi o seu pior resultado no Campeonato desde o seu ano de estreia, em 1996.

Rossi regressou às vitórias em 2008 e recuperou o ceptro de MotoGP, triunfando em nove corridas e subindo ao pódio em 16 das 18 corridas do ano. Os seus resultados incluíram a sétima vitórias consecutiva em Mugello, um duelo titânico com Casey Stoner em Laguna Seca (onde Rossi nunca tinha ganho antes) e uma histórica vitória em Indianápolis, prova afectada por um furacão. Rossi acabou por garantir o título em casa da Yamaha, no Japão, a três provas do final da época. Foi o seu oitavo ceptro da carreira e o terceiro com a Yamaha.

Ao fazer 31 anos, Rossi embarca na sétima temporada com a Yamaha e continua a ter o apoio do seu Chefe de Equipa de longa data Jeremy Burgess, que veio da Honda para a Yamaha com o italiano em 2004.

Tags:
MotoGP, 2010, Valentino Rossi, Fiat Yamaha Team

Outras actualizações que o podem interessar ›