Compra de bilhetes
VideoPass purchase

A influência italiana na Tech3 Racing

A influência italiana na Tech3 Racing

Raffaele de Rosa e Daniele Romagnoli falam ao motogp.com sobre as suas impressões do primeiro teste em Montmeló.

O Campeonato do Mundo de Moto2 continuou a ganhar forma no Circuito da Catalunha na semana passada no teste privado que permitiu a uma selecção de pilotos ir para a pista com os seus protótipos.

O Estrante do Ano de 250cc de 2009, Raffaele de Rosa, esteve presente enquanto deu continuidade aos preparativos para a temporada de estreia da nova categoria de Moto2 com a Tech3 Racing, e apesar do italiano ter sido algo afectado pelo tempo conseguiu, ainda assim, fazer progressos na quinta e sexta-feira.

De Rosa terminou o teste com o melhor tempo de 1m50,5s, um pouco longe do melhor registo do ensaio assinado por Yuki Takahashi, mas em linha com vários outros pilotos e com boas sensações depois de mais tempo aos comandos do chassis da Tech3.

“Usámos apenas metade dos três dias, mas foi muito útil apesar de duas quedas que me atrasaram um pouco,” explicou De Rosa. “Tínhamos muitas coisas para testar e seleccionámos alguns materiais. A moto está no bom caminho e estou satisfeito. O Guy Coulon (chefe de mecânicos da equipa) está sempre a trabalhar e a dar algo novo. Fizemos algumas alterações ao chassis e afinação e agora temos de decidir em que é que vamos concentrar os nossos esforços durante o teste de Valência.”

Da mesma forma que o italiano, o seu técnico chefe Daniele Romagnoli disse: “Foi um teste positivo apesar do tempo. Não conseguimos testar tudo o que queríamos, especialmente no que toca à afinação e materiais que trouxemos para aqui, mas tirando isso fizemos bons progressos. No segundo dia concentrámo-nos mais na configuração e depois no piloto. Para o Raffaele foi a primeira vez com uma 4 tempos e foi importante fazer o máximo de voltas possível.”

O antigo Director Desportivo de Jorge Lorenzo acrescentou: “A moto é nova e muito diferente da 250cc. Temos de melhorar a frente, que trará a confiança necessária para entrar rápido nas curvas. Também temos de resolver um pequeno problema de vibração.”

“Temos trabalho a fazer, mas o tempo do Yuki, por exemplo, indica que esta moto é competitiva e que conseguimos ter esse potencial do Raffaele. Temos muitas ideias para Valência, tanto em termos de componentes, como de afinação.”

Questionado sobre as possibilidades do seu piloto chegar ao título, Romagnoli disse: “Ainda é muito cedo para falar. Depois dos três testes oficiais vamos ter uma ideia mais clara. É muito provável que as equipas preparem os motores de forma particular para este teste, enquanto nós não demos importância a este elemento. Penso que o Raffaele estará entre os pilotos principais.”

Tags:
Moto2, 2010, Raffaele de Rosa, Tech 3 Racing

Outras actualizações que o podem interessar ›