Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Yonny Hernandez, um talento colombiano na Moto2

Yonny Hernandez, um talento colombiano na Moto2

A formação espanhola Blusens-STX optou por uma combinação invulgar de pilotos para a sua época de estreia na nova categoria intermédia em 2010.

O teste privado da semana passada no Circuito da Catalunha ofereceu uma primeira ideia dos pilotos da Blusens-STX Yonny Hernandez (colombiano) e Mashel Al Naimi (Qatar) em acção aos comandos das suas Moto2.

Ambos atacaram a pista na quinta-feira, com Hernandez a mostrar de imediato habilidade com o seu protótipo, assinando o segundo melhor tempo do dia a apenas dois décimos de segundo do mais rápido. Gerando grande interesse no circuito de Barcelona, Hernandéz falou com o motogp.com sobre a sua carreira até ao momento e o que espera para esta época de Moto2.

“Comecei na Colômbia em 2003 no Motocross,” disse Hernandez. “Corri durante cinco ou seis anos no Campeonato Latino-Americano no Motocross e depois passei para o Supermotard: fui campeão nacional desta disciplina no meu país. Na época de 2008 vim para Espanha à procura de um futuro e dei-me bem no Supermotard — fiz quatro corridas no Campeonato de Espanha, terminando em terceiro no meu primeiro ano.”

A partir daí Hernandez passou para a Supersport no CEV Buckler, onde rodou com uma Suzuki GSXR600.

“Tentei a minha sorte no Campeonato de Espanha e correu bem. Na primeira corrida terminei no pódio e foi o meu primeiro contacto com a Supersport,” explicou Hernandez, que concluiu a época de 2009 com quatro pódios no total e terminando em quarto da geral. Isto deu-me confiança e agora, graças à Federação de Motociclismo da Colômbia, estou no Campeonato do Mundo. Quero adaptar-me à moto e fazer o melhor que posso.”

Hernandez falou depois da sua experiência em Montmeló: “No primeiro dia caí na minha primeira volta, no molhado! Arranjámos a moto, mas não consegui recolher muitos dados. Na quinta-feira rodei o dia todo no seco e foi bom. Foi o meu primeiro contacto com a moto e consegui fazer um total de 50 a 60 voltas, e senti-me mesmo confortável com a equipa e andámos em frente. Vamos vez como corre o próximo teste em Valência!”

Hernandez acredita que o seu progresso no Campeonato do Mundo de Moto2 será gradual. Ele acrescentou: “Sinto-me bem, mas tenho de fazer muitos quilómetros na moto. É um campeonato do Mundo muito forte e quero conhecer a moto bem e a equipa, completar todas as corridas e tentar sempre dar 100%. Quero melhorar e treinar arduamente para ser rápido, mas vão estar todos apostados em ganhar e isso leva tempo e requer muito trabalho. Não quero apressar as coisas — até agora tem corrido bem, mas é apenas o princípio.”

Tags:
Moto2, 2010, MZ Racing Team

Outras actualizações que o podem interessar ›