Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Alberto Puig: “Não vamos para o Qatar de cabeça baixa”

Alberto Puig: “Não vamos para o Qatar de cabeça baixa”

O Director Desportivo de Dani Pedrosa na Repsol Honda está optimista em relação ao início da nova época e diz que o MotoGP é um “Campeonato de adrenalina”.

A pouco mais de uma semana da primeira corrida da época de MotoGP Alberto Puig disse que apesar dos problemas encontrados por Dani Pedrosa nos Testes de pré-época, particularmente no Qatar, há ainda muita confiança na equipa e por parte do piloto antes do início da campanha.

“Como acontece todos os anos, temos de nos preparar para um longa época,” afirmou o Director Desportivo de Pedrosa na Repsol Honda, virando depois as atenções para a jornada de abertura em Losail. “O Qatar é a primeira corrida, mas trata-se de um Campeonato com oito ou nove meses de duração e temos de estar preparados para isso. Vamos para o Qatar para iniciarmos esta luta de adrenalina.”

Em 2009 Pedrosa terminou a corrida nocturna na 11ª posição, tendo iniciado a campanha com um lesão contraída na pré-época. Puig continuou: “Sim, no ano passado estávamos mal fisicamente quando começámos; o piloto começou lesionado e não conseguíamos melhorar isso. Este ano pelo menos chegamos à primeira corrida com o piloto em boas condições e isso já é melhor. Esse foi o nosso principal objectivo na pré-época: começar sem problemas com o piloto.”

Agora que Pedrosa se aproxima da primeira corrida em boa forma física, o problema da pré-época foi a prestação aos comandos da RC212V nos Testes.

Puig disse: “É claro que queremos que a moto esteja ao melhor nível e que o piloto se sinta confortável com ela, mas até ao momento só temos tido Testes. Isso pode dar-nos uma indicação do que acontecerá em pista na corrida, mas não é algo decisivo. O que verdadeiramente conta é o que acontece no domingo – corrida nocturna – no Qatar.”

O Director Desportivo de Pedrosa considera que não pode dizer se os seus rivais na Yamaha e Ducati estão um passo à frente do protótipo de 2010 da Honda. Ele comentou: “Não sei, não rodo com as motos deles. Vejo os tempos e os que os registaram estão rápidos. Temos coisas diferentes para testar e talvez tenhamos de o fazer durante o fim-de-semana de Grande Prémio, mas o que posso dizer é que não vamos para o Qatar de cabeça baixa. Vamos para todas as corridas para vencer, a mentalidade da equipa oficial da Honda é ganhar corridas e vamos para o Qatar para darmos o melhor.”

Debatendo-se com problemas na traseira da moto e instabilidade da nova RC212V nos Testes, a prestação de Pedrosa na mais recente sessão de trabalho no Qatar causou algumas preocupações ao terminar em 13º a 1,5s do melhor tempo do Ensaio assinado por Casey Stoner. Outros pilotos com o mesmo protótipo, como Andrea Dovizoso (3º) e Randy de Puniet (7º) ficaram bem mais satisfeitos com o comportamento das suas montadas e quando questionado sobre se os problemas encontrados por Pedrosa eram comuns a todos os pilotos da RC212V, Puig disse:

“Não posso dizer porque não sei se estes problemas também foram sentidos pelos outros e não tenho de me preocupar com isso. Sei que problemas temos e que os queremos resolver da melhor forma possível durante o fim-de-semana. Estamos a lidar com elementos diferentes e vamos ver se conseguimos colocar tudo no lugar e ultrapassar estes pequenos problemas que estamos a ter.”

Sobre a chegada de vários novos pilotos à categoria rainha em 2010 e a possibilidade de mudanças na distribuição de forças Puig manteve-se pragmático.

Temos de nos concentrar no nosso piloto e moto. Se estivermos concentrados vamos dar o máximo em cada corrida, depois veremos quem pode lá estar em cima. Podem ser os mesmo do ano passar, ou algumas novas caras, mas o objectivo continua a ser o mais alto possível, independentemente de quem estiver à frente.”

Tags:
MotoGP, 2010, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›