Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Trabalho de equipa é a chave para dupla da Tech3

Trabalho de equipa é a chave para dupla da Tech3

Colin Edwards e Ben Spies, da Monster Yamaha Tech3, falam de vários assuntos antes da primeira corrida da época no Qatar.

A primeira ronda da época 2010 do MotoGP não oferece apenas a emoção da primeira corrida do ano, mas também a oportunidade de vermos até que ponto a pré-época foi productiva para cada equipa e cada piloto.

Este ano a Monster Yamaha Tech3 conta com um alinhamento totalmente norte-americano com o estreante Ben Spies e o mais experiente Colin Edwards. Antes do Commercialbank Grande Prémio do Qatar a dupla revelou alguns pontos interessantes sobre os seus preparativos, como é que trabalharam em conjunto e como o vão continuar a fazer ao longo da temporada, sem esquecerem vários outros temas que surgirão ao longo da campanha.

Spies, que impressionou nos Testes de pré-época aos comandos do protótipo M1, começou por dizer: “Estou um pouco à frente do ponto em que pensava que estaria no início do ano e penso que estamos em boa posição para continuar a aprender e a subir. Também temos novos e grandes desafios à nossa frente ao irmos para pistas que não conheço.”

Ele continuou: “O Colin tem sido uma grande ajuda, penso que este ano vai ser muito bom. Somos claros concorrentes. Queremos superar-nos mutuamente. Queremos levar a melhor sobre todos, mas penso que ambos compreendemos que, correndo contra os pilotos que vamos ter de correr, podemos trabalhar em conjunto para tornarmos a moto um pouco melhor. Penso que vamos partilhar bem a informação e tentar tornar o conjunto no seu todo ainda melhor e lutar na pista.”

Spies, que vai correr sob as luzes artificiais do Circuito Internacional de Losail pela primeira vez neste fim-de-semana, apreciou as condições de competição nocturna pela primeira vez no último Teste em Março passado.

“Levei algumas horas a acostumar-me às luzes. A percepção de velocidades é realmente um pouco diferente, mais rápido que de dia por causa das sombras,” explicou. “Quando fazemos as curvas sentimos que vamos um pouco mais depressa que de dia. É uma diferença pequena, mas não é nada do outro mundo. É apenas como quando rodamos na chuva: é igual para todos. Vou claramente estar mais confortável. Não vou perder tanto tempo no fim-de-semana de corridas como perderia se nunca tivesse rodado nessas condições. Fiquei contente por termos testádo no Qatar; penso que vai correr bem e estou desejoso pela prova.”

O seu companheiro de equipa Edwards disse o que pensa em relação ao desenvolvimento da M1 e qual o nível da sua montada em comparação com a máquina de fábrica usada por Valentino Rossi e Jorge Lorenzo.

“Este ano talvez seja aquele em que estão mais próximas. Não digo que as motos são exactamente as mesmas, mas penso que estão mais semelhantes que antes. Por agora é tudo o que podemos dizer, pois sumos uma equipa irmã,” disse Edwards. “Quando olhamos para as tabelas de velocidade estamos mesmo lá. Estão todos a rodar bem.”

Edwards acredita que isso significa que há ainda uma maior possibilidade de uma moto satélite, com a da sua equipa, pode triunfar este ano.

“Claro que sim,” afirmou. “Vai ser difícil, mas não vos vou mentir. Quem apostar contra o Valentino não deve estar bom da cabeça. Mas é claramente possível. Como disse, as nossas motos nunca estiveram tão parecidas com uma de fábrica antes, pelo que se há um em ano que o vamos conseguir, é este.”

Tags:
MotoGP, 2010, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR, Colin Edwards, Ben Spies, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›