Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Protótipos de 2010 escrutinados minuciosamente

Protótipos de 2010 escrutinados minuciosamente

O processo de verificação tem lugar em todos os Grandes Prémios e antes da primeira corrida do ano no Qatar é ainda mais extenso. O Director Técnico do MotoGP, Mike Webb, explica o processo.

Sob a supervisão atenta do Directo Técnico do MotoGP Mike Webb na quinta-feira, os protótipos que vão competir no Commercialbank Grande Prémio do Qatar foram alvo das verificações técnicas — um importante procedimento na regulação das motos.

Webb explicou como é que ele e o seu pessoal levam a cabo o processo e como é que 2010 se revela como um novo desafio devido à introdução do limite de seis motores por piloto no MotoGP, além de abordar também a nova categoria de Moto2.

“É o controlo técnico,” afirmou Webb. “É a primeira corrida do ano e temos de ver todas as motos porque para nós são totalmente novas e queremos registá-las para termos todos os dados de todas as motos para sabermos em que ponto estamos no início do ano. Depois, a partir daqui, só teremos de ver as alterações que foram feitas.”

“As (três ) diferentes classes têm regras diferentes, mas de forma geral estamos a registar peso, nível de ruído e volume de combustível no MotoGP, peso do piloto nas 125cc — estatísticas da moto, se preferirem. Estamos a registar que moto pertence a que piloto e equipa, para sabermos o que estamos a verificar depois da corrida.”

Ele acrescentou: “Neste momento estamos a estabelecer uma base de dados. Estamos a verificar a legalidade, o que fazemos nas verificações, mas com muito mais importância depois da corrida. É aí que fazemos mesmo de ‘polícias’!”

Webb falou depois do impacto da regra dos seis motores em todo o processo.

“Dá-nos muito mais trabalho porque temos pessoal dedicado a acompanhar cada motor, a garantir que estão selados — a equipa não os pode abrir — e temos de saber exactamente que motor está em cada moto a todos os momentos,” disse.

“Os fabricantes podem trazer novos motores a qualquer altura, com um limite de seis. Por isso, há equipas que vão ter dois ou três motores selados pelo meu staff aqui e estão a guardar os outros em reserva ou vão trazê-los noutras corridas mais para a frente. Neste momento selámos, mais ou menos, metade dos motores permitidos para o ano.”

Webb concluiu abordando o tema do desenvolvimento dos motores por parte dos fabricantes ao longo da época.

“Até chegarmos ao limite de seis, qualquer novo motor que tragam terá, normalmente, algumas actualizações. Depende de cada construtor a escolha do momento para os trazerem. Mas assim que registarem os seis motores está feito, não podem mudar nada,” afirmou.

Tags:
MotoGP, 2010, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›