Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Capirossi luta para estar na frente

Capirossi luta para estar na frente

O piloto da Rizla Suzuki terminou o seu 300º Grande Prémio na nona posição, mas está ansioso por levar a sua GSV-R para o nível seguinte.

No seu 300º Grande Prémio, Loris Capirossi terminou no Qatar com um nono lugar, arrecadando os primeiros pontos do Campeonato do Mundo de 2010 ao comando da GSV-R da equipa Rizla Suzuki.

No início da 21ª temporada de corridas de Grande Prémio - a 13ª na Classe Rainha - o italiano arrancou da segunda linha da grelha e, depois de uma longa luta com Colin Edwards, conseguiu um lugar no Top 10.

Contudo, não era este o resultado que Capirossi desejava, depois de se ter qualificado em quinto. O veterano disse depois da corrida: “Fiquei um pouco chateado com o resultado, porque pensámos que conseguíamos melhor. Trabalhámos muito durante o fim-de-semana, nas tivemos também de lutar contra as condições que encontrámos hoje (domingo), porque eram diferentes de ontem, com muito mais humidade.”

Capirossi, que fez uma decoração especial em honra do marco que atingiu na sua carreira com os 300 Grandes Prémios que já disputou, continuou: “Lutei no terceiro sector do circuito, mas não estava muito rápido aí, mas nos outros sectores estava muito forte. O meu ritmo não foi muito bom e no final já estava apenas a defender a minha posição.”

O piloto de 37 anos espera por melhores resultados ao longo da época, especialmente depois do grande trabalho que tem sido feito para tornar o protótipo GSV-R mais competitivo do que na última temporada.

”Não precisamos de resultados com este; precisamos de estar perto da frente, especialmente depois do trabalho que todos têm feito. Não é fácil, mas precisamos de continuar a trabalhar,” concluiu.

O Director da equipa da Rizla Suzuki Paul Denning fez uma avaliação dos resultados e acredita na evolução de Capirossi na próximas rondas.

“O Grande Prémio do Qatar nunca foi muito bom para a Suzuki e hoje não foi muito diferente!”, disse Denning. “Loris pilotou como nunca no seu 300º Grande Prémio. Mas não teve a confiança necessária para puxar muito pela mota nas curvas mais rápidas. Sentiu que o seu andamento era terrível, mas olhando a esta distância vemos que ficou a menos de um segundo do vencedor. Por isso, tenho a certeza que pode melhorar nas próximas corridas e poderemos ver o Loris muito mais perto de um bom final.”

Tags:
MotoGP, 2010, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR, Loris Capirossi, Rizla Suzuki MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›