Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dor não leva a melhor sobre Elías

Dor não leva a melhor sobre Elías

Apesar de ter rodado com lesões, o piloto da Gresini Racing Moto2 logrou conquistar sólido quarto lugar na primeira corrida da história da nova categoria intermédia no Commercialbank Grande Prémio do Qatar.

Toni Elías mostrou, na primeira corrida de Moto2 de 2010, que está com espírito lutador. O piloto espanhol levou a cabo brava demonstração na nova categoria intermédia rodando contra as dores para garantir impressionante quarto posto.

Obrigado a usar canadianas para se deslocar no paddock enquanto continua a recuperar das fracturas no tornozelo direito e também com a mão esquerda partida em consequência da queda no último Teste de pré-época em Jerez, há duas semanas, Elías mostrou grande coragem e determinação ao ir além das expectativas depois de se ter qualificado na pole.

Após lutar pela liderança durante grande parte do Commercialbank Grande Prémio do Qatar, o antigo piloto de MotoGP começou a ficar cansado no final da prova e acabou por cruzar a meta em quarta, um admirável feito tendo em conta a sua condição física.

“Estou exausto, mas contente por ter somado importantes pontos aqui com o quarto lugar. Não creio que pudesse pedir mais de mim e também estou aliviado por ter chegado ao final da corrida porque estive muito perto de cair umas quantas vezes graças ao estilo agressivo de pilotagem de alguns pilotos,” disse um fatigado, mas satisfeito Elías.

A prestação de Elías a menos de 100% da forma física foi um claro sinal para o resto dos seus rivais no que toca à corrida pelo primeiro ceptro da história de Moto2 e o piloto explicou como é que conseguiu manter o ritmo quando as dores começaram a afectar mais a sua capacidade de controlar o chassis Moriwaki.

“Houve alguns momentos ao longo do fim-de-semana em que não tive a certeza se o conseguiria fazer, mas a polé position deu-nos a oportunidade de lutar por um resultado que estava acima das nossas expectativas,” disse o piloto da Gresini Racing Moto2. “Toda a corrida foi dura, mas quando os pneus começaram a ficar desgastados lutei muito para controlar a moto por causa da minha falta de forças. Cerrei os dentes e fui até ao fim.”

Elías vai agora continuar a sua reabilitação para tentar estar em melhor estado físico quando se disputar a segunda ronda do ano, no Japão, dentro de duas semanas.

Tags:
Moto2, 2010, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR, Toni Elias, Gresini Racing Moto2

Outras actualizações que o podem interessar ›