Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone leva composto traseiro melhorado para Jerez

Bridgestone leva composto traseiro melhorado para Jerez

O fornecedor oficial de pneus do MotoGP vai oferecer aos pilotos um slick traseiro com amplitude de funcionamento maior em termos temperatura para o Grande Prémio bwin de Espanha.

A segunda jornada do Campeonato do Mundo de 2010 representa um desafio diferente para o fornecedor de pneus do MotoGP e a companhia nipónica está bem preparada para a primeira prova europeia do ano este fim-de-semana em Jerez.

A Bridgestone vai disponibilizar a mesma oferta de slicks que ofereceu no Grande Prémio bwin de Espanha do ano passado em Jerez; frontais de compostos médios e duros, e traseiros macios e médios. Contudo, haverá uma diferença no que toca ao composto da borracha traseira que foi melhorado para oferecer maior amplitude de temperatura.

O responsável pelo desenvolvimento de pneus da Bridgestone, Tohru Ubukata, explicou a modificação dizendo: “Este ano vamos fornecer slicks traseiros com um composto melhorado que vai aumentar a temperatura de funcionamento, fazendo com que aqueçam melhor em condições mais frias e que tenham mais consistência em temperaturas mais elevadas. Os pilotos deram-nos respostas positivas quando apresentamos o composto médio melhorado no Qatar, pelo que esperamos que este aumento da amplitude térmica de funcionamento seja melhor para os pilotos e que origine mais uma emocionante corrida em Jerez.”

Referindo-se aos desafios que o circuito vai oferecer na segunda jornada Ubukata continuou: “Jerez é um bom traçado de testes por causa da diversidade de curvas que tem, o que significa que necessitamos de um pneus muito equilibrado para os pilotos contarem com bom comportamento em baixas e altas velocidades e também nas mudanças de direcção.”

“O desenho do traçado não provoca grandes cargas na zona central do pneu e as laterais esquerda e direita são usadas de igual forma, pelo não é necessário ter slicks assimétricos aqui. O circuito é algo abrasivo e a temperatura da pista durante as corridas é, em termos históricos, elevada, o que representa mais um desafio no que toca à durabilidade e desgaste, mas Jerez não é a pior pista do ponto de vista dos pneus,” concluiu.

Tags:
MotoGP, 2010, GRAN PREMIO bwin DE ESPAÑA

Outras actualizações que o podem interessar ›