Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Jerez dá à Bridgestone muitos sinais positivos

Jerez dá à Bridgestone muitos sinais positivos

O composto traseiro melhorado utilizado no Grande Prémio bwin de Espanha resultou num novo recorde da pista e num tempo de corrida mais rápido, enquanto o Teste permitiu continuar o desenvolvimento de um composto para o pneu dianteiro.

O Grande Prémio bwin de Espanha não foi apenas um grande espectáculo para os fans, mas também um sucesso para o fornecedor oficial de pneus do MotoGP, a Bridgestone, que recebeu um excelente feedback e resultados do fim-de-semana.

Todos os 17 pilotos de MotoGP escolheram um composto frontal duro (quando tinham também a opção de um composto médio), com Aleix Espargaró a ser o único a escolher um composto traseiro médio, em vez de um composto macio.

A combinação escolhida pela maioria resultou numa excelente corrida, com Dani Pedrosa a fixar um novo recorde da pista, com um tempo de 1m39,731s na segunda volta, ao mesmo tempo que o tempo total da corrida também foi mais rápido. A durabilidade dos pneus utilizados também permitiu ao vencedor da corrida, Jorge Lorenzo, partir da quinta posição inicial para bater Pedrosa na última volta. O responsável pelo desenvolvimento de pneus da Bridgestone Tohru Ubukata estava bastante satisfeito com o que foi possível alcançar nesta corrida.

“Estou muito feliz porque vimos resultados da modificação introduzida no composto traseiro aqui em Jerez - uma maior amplitude de funcionamento em termos de temperatura, que levou a um novo recorde da pista e aumentou a durabilidade dos pneus, permitindo uma corrida mais rápida”, explicou. “Claro que a prestação no warm-up nunca será um problema com as temperaturas de Espanha, mas mesmo assim podemos dizer que recebemos um feedback positivo dos pilotos.”

Ele acrescentou: “Também houve boas indicações em relação aos pneus duros e macios. Apesar de todos os pilotos, à excepção de Aleix, terem utilizado os pneus duros na corrida, na sexta-feira e no sábado, muitos pilotos uitlizaram os dois compostos. Vimos que o composto duro podia ser utilizado e funcionava bem quando a pista está fria, como na sessão de sábado de manhã, e que o composto macio também tem um bom desempenho mesmo quando a temperatura da pista é superior a 17º, como na qualificação de sábado à tarde.”

“A prestação dos pneus foi boa, como mostra o recorde alcançado. Seria de esperar algum desgaste, mas o facto de Jorge ter fixado o seu melhor tempo a três voltas do final da corrida mostra que uma boa durabilidade”, referiu ainda.

Depois da corrida de domingo, seguiu-se um dia de Testes na pista andaluza na segunda-feira, onde os pilotos da Fiat Yamaha Lorenzo eValentino Rossi, os pilotos da Rizla Suzuki Loris Capirossi e Álvaro Bautista e o piloto da Monster Yamaha Tech3 Colin Edwards estiveram entre os que experimentaram o novo pneus frontal da Bridgestone.

“Vamos continuar a desenvolver o pneu dianteiro, dando a cada piloto a oportunidade de testar o composto”, referiu Ubukata. “Os teste durante a temporada são muito limitados e queremos agradecer às equipas e aos pilotos pelo seu apoio à Bridgestone por testar esses pneus que nos permitir recolher elementos que serão importantes para futuros desenvolvimentos.”

Tags:
MotoGP, 2010, GRAN PREMIO bwin DE ESPAÑA

Outras actualizações que o podem interessar ›