Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dupla da Suzuki nos pontos em Mugello

Dupla da Suzuki nos pontos em Mugello

Loris Capirossi foi décimo no GP caseiro, mas lutou com a afinação da moto, enquanto Álvaro Bautista continuou a debater-se com a lesão a caminho de um resultado nos pontos.

Loris Capirossi avaliou o Gran Premio d’Italia TIM com sensações mistas depois de ter terminado a corrida de domingo em décimo. O veterano italiano da Rizla Suzuki ficou contente por ter cruzado a linha de meta nos pontos depois de não ter terminado as duas últimas corridas, mas um problema com a frente da sua GSV-R fez com que não pudesse terminar melhor classificado.

“Esta corrida foi menos desastrosa que as duas últimas porque não as terminei, mas estou mesmo aborrecido porque nunca encontrámos a melhor solução,” explicou Capirossi. “Nunca gostei das sensações com a frente da moto hoje e sempre que mudava de direcção pensava que ia perder a moto. Quase caí por umas duas vezes e tive de rodar um pouco mais lento para garantir que isso não acontecia – não quero correr com a moto assim! Toda a equipa trabalhou muito para encontrar a solução, mas infelizmente não encontrámos o que procurávamos.”

Capirossi sente os benefícios da evoluída GSV-R, mas está à procura da melhor afinação para utilizar essas novidades de forma eficiente. Ele acrescentou: “O motor melhorou muito face ao ano passado, mas temos algo no chassis ou na afinação que não está a funcionar bem, pelo que temos de descobrir rapidamente o que se passa para resolver o problema. Agora estou desejoso pela próxima corrida em Silverstone e esperamos mesmo estar em melhor forma lá.”

Álvaro Bautista completou a primeira corrida depois de ter falhado a ronda de Le Mans para recuperar de lesão na clavícula. O estreante ainda sentiu os efeitos da lesão, mas correu contra as dores e cumpriu o objectivo de terminar a corrida nos pontos, em 14º.

“O meu braço esquerdo parece estar destruído, mas cumpri o objectivo de hoje, que era terminar a corrida, pelo que foi uma vitória para nós,” disse o piloto de 25 anos. “Tentei encontrar um bom ritmo em que me sentisse confortável e terminar a corrida. Perto do final comecei a sentir que estava bem e apesar de sentir mais dores conseguir cruzar a meta e ganhar mais experiência. Agora vou fazer tudo para recuperar o máximo para o próximo GP, é a corrida caseira da equipa e quero dar-me bem lá!”

Tags:
MotoGP, 2010, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM, Alvaro Bautista, Loris Capirossi, Rizla Suzuki MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›