Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Rossi, Furusawa e Jarvis recordam sete anos de sucesso

Rossi, Furusawa e Jarvis recordam sete anos de sucesso

A última corrida da temporada de 2010 colocou um ponto final na parceria entre o piloto italiano e a fábrica japonesa. O piloto de 31 anos, Masao Furusawa e Lin Jarvis falaram sobre o fim deste período depois da corrida.

A última corrida da época de 2010 foi também a última que fez com as cores da equipa da Fiat Yamaha, depois de sete anos, 46 vitórias e quatro títulos do Campeonato do Mundo. Depois do terceiro lugar no GP Generali de la Comunitat Valenciana – o seu 84º pódio com a Yamaha – o italiano, Masao Furusawa e Lin Jarvis recordaram o incrível período que passaram juntos.

No primeiro vídeo em anexo poderá ver a conferência de imprensa especial com os três, enquanto do segundo irá recordar os tempos que Rossi e a fábrica japonesa partilharam.

Valentino Rossi:

"Este é um dia muito emocionante, mas também estou feliz, porque não temos mágoas e não houve maus momentos durante estas sete temporadas que passei com a Yamaha. Desde o início que foi fantástico e trabalhámos muito bem juntos, mas tão importante quanto isso foi a diversão e nós tivemos isso na Yamaha. Houve uma grande mistura e fusão na minha equipa – australianos, italianos, japoneses e ingleses e muitos outros… muitas pessoas que juntas se divertiram. Se em 2004 alguém me tivesse dito que iria ganhar quatro campeonatos com a Yamaha e 46 Grandes Prémios eu não teria acreditado! Estou feliz. Primeiro tenho que agradecer a Masao Furusawa, porque passámos por momentos difíceis, mas conseguimos melhorar a moto e fazer uma maquina melhor, depois tenho que deixar um grande agradecimento a todos que me ajudaram nestas sete épocas e desejar a todos boa sorte".

Masao Furusawa, Direcção de Operações de Engenharia da Yamaha:

"Queremos agradecer muito ao Valentino, começámos no MotoGP em 2003 e foi um ano terrível, foi quase um inferno! Eu queria transformar a YZR-M1 numa máquina melhor, mas quanto mais investigava, mais percebia que precisava de mais alguma coisa além da moto. Nessa altura, encontrámos o Valentino Rossi. Ao princípio não acreditava que o Valentino visse para a Yamaha, porque a moto não era fantástica, mas de alguma forma funcionou. Depois da África do Sul, em 2004, senti que estava no paraíso, foi um ano excitante e memorável. Em 2004, o Valentino era o único que podia vencer com a YZR-M1, por isso ele contribuiu muito no desenvolvimento da moto. Este ano não foi apenas o Valentino, mas também outros três pilotos estavam rápidos, por isso é claro que a nossa YZR-M1 é uma grande moto. Isto deve-se principalmente ao contributo do Valentino ao longo dos anos, eu reconheço isso e quero desejar-lhe tudo de bom para o futuro".

Lin Jarvis, Managing Director, Yamaha Motor Racing:

"Em 2003, nós tivemos o nosso pior ano de sempre em corridas de Grande Prémio, até que dissemos que qualquer coisa que fizéssemos, sem Valentino Rossi nada iria resultar! Foi nessa altura que o procurámos dele. Houveram negociações excitantes e secretas com o Valentino e foi uma decisão muito importante, mas com o apoio de Masao Furusawa e do Presidente da Yamaha Motor Company, nós concretizar tudo. Com o empenhamento da Yamaha, dos engenheiros e de todos na equipa nós fizemos com que as coisas acontecessem. Estamos muito, muito agradecidos, porque a chegada do Valentino realmente representou um salto para a Yamaha e nós regressámos ao caminho das vitórias. Estamos incrivelmente agradecidos e gratos a ele por isso. Tivemos tantos momentos emocionantes e divertidos com ele e com a equipa que ele trouxe com ele, que são pessoas fantásticas. Hoje vamos dizer adeus a muitas pessoas, incluindo o Davide Brivio, o Jerry Burgess e a toda a equipa. Passámos momentos fantásticos juntos, foi mesmo uma equipa excelente e vamos sentir a falta deles amanhã, vai ser um dia estranho".

Tags:
MotoGP, 2010, GRAN PREMIO GENERALI DE LA COMUNITAT VALENCIANA, Valentino Rossi, Fiat Yamaha Team

Outras actualizações que o podem interessar ›