Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Classe de Moto2 termina Teste de Valência

Classe de Moto2 termina Teste de Valência

O Teste Oficial de Moto2 no Circuito Ricardo Tormo terminou ao final da tarde desta segunda-feira com os pilotos e equipas da categoria intermédia a iniciarem o trabalho para 2011.

Os primeiros preparativos para o Campeonato do Mundo de Moto2 de 2011 foram levados a cabo nesta segunda-feira, com a categoria intermédia a reunir-se no Teste Oficial de um dia. Foram 35 os pilotos presentes no palco da última corrida do ano, que teve lugar ontem, isto apesar do frio e vento que se fizeram sentir e que chegaram a causar breve interrupção no programa.

O vice-Campeão do Mundo Julián Simón liderou a tabela oficiosa de tempos com a Suter MMX da Mapfre Aspar com um registo de 1m36,7s, cerca de seis segundos mais lento que o tempo que deu a pole a Toni Elias para a corrida de domingo, mas o centro das atenções do espanhol foi o teste de vários componentes que serão usados na próxima temporada. “Estou bastante contente com o trabalho feito hoje,” disse Simón, que completou 46 voltas. “Recolhemos muitos dados que vamos poder estudar durante o Inverno para prepararmos a próxima época.”

Stefan Bradl, da Viessmann Kiefer Racing, a testar um chassis Kalex, igualou o esforço de Simón, enquanto Scott Redding, da Marc VDS Racing Team, ficou a apenas mais dois décimos de segundo ao rodar com a versão 2011 da Suter durante a tarde. O britânico, que fez 40 voltas durante o dia, disse: “Testámos o novo chassis e várias outras peças e foi um início positivo para a próxima temporada.”

O nipónico Yuki Takahashi começou a trabalhar com a Gresini Team ao lado do italiano Michele Pirro, enquanto Kenan Soguoglu, que conquistou um lugar permanente com a Technomag-CIP para 2011 depois da impressionante demonstração levada a cabo nas duas últimas corridas do ano, assinou 47 voltas com a Suter da formação gaulesa. O seu companheiro de equipa suíço Dominique Aegerter trabalhou com novas peças para o fabricante. Andrea Iannone, que terminou a primeira época da nova categoria em terceiro, também esteve em pista.

Com o Campeão do Mundo Toni Elías e o vencedor de Valência Karel Abraham ausentes por terem passado para a categoria rainha (com que testam amanhã), a pista acabou por ver rodar dois pilotos que fizeram mudança inversa. Aleix Espargaró completou o segundo maior número de voltas (80) com a sua Pons Kalex, enquanto Mika Kallio se estreou aos comandos da Suter da Marc VDS Racing Team.

“Foi uma boa oportunidade para recolher uma primeira impressão da moto,” disse o finlandês. “É claro que a potência é menor em comparação com a Ducati com que corri este ano, mas gosto da moto porque é muito mais leve. Tenho de fazer mais voltas para me habituar a ela e temos de resolver alguns pequenos problemas, mas não vou demorar a sentir-me melhor na moto.”

Esteve Rabat (Racing Team by Quereseno), Bradley Smith (Tech 3), Pol Espargaró (Tuenti Speed Up) e Randy Krummenacher (Viessmann Kiefer Racing) começaram as suas novas aventuras na classe depois de terem deixado as 125cc, com o primeiro a assinar o melhor tempo dos quatro (1m38,0s). A Tech3 Team, de Smith, contou ainda com a ajuda de Colin Edwards, da categoria rainha, e o jovem britânico foi o que mais voltas fez (90).

“Foi fantástico. É claro que o vento nos afectou, mas não foi grande problema para mim porque estava a testar coisas diferentes para me sentir confortável e ver em que direcção a minha afinação base deve seguir,” disse Smith. “Rodei com a moto de 2010, enquanto o Coli e o Mike (di Meglio) rodaram com a versão de 2011 e penso que foi a melhor coisa a fazer para me adaptar à moto. Também foi bom trabalhar com o (Chefe de Equipa) Tom Jojic pela primeira vez. Foi um grande dia, muito motivante e fizemos um bom trabalho para o primeiro dia.”

Espargaró também levou a cabo a primeira adaptação à moto e nem mesmo uma queda reduziu o seu entusiasmo. “É uma moto difícil, está sempre a mover-se, mas é divertida,” disse o espanhol. “Estamos a aprender e penso que podemos fazer um bom trabalho porque a equipa é muito profissional. Sofri uma pequena queda, mas nada de especial.”

Jules Cluzel (Forward Racing), Raffaele de Rosa (G22 Racing Team), Max Neukirchner (MZ Motor), Xavier Simeon (Holiday Gym Racing), Thomas Lüthi (Interwetten), Kenny Noyes (Jack&Jones by A. Banderas), Alex de Angelis (JiR Moto2), Mashel Al Naimi (QMMF Racing Team), Yonny Hernández (Racing Team by Quereseno), Ratthapark Wilairot (SAG Racing Team) e Axel Pons (Pons Racing) estiveram todos presentes com as suas equipas. Outros nomes em pista foram Lukas Pesek, Anthony West, Gabor Talmacsi, Arne Tode e Alex Baldolini.

Tags:
Moto2, 2010

Outras actualizações que o podem interessar ›