Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pedrosa: “O Teste de Sepang será uma prova pessoal”

Pedrosa: “O Teste de Sepang será uma prova pessoal”

O piloto da Repsol Honda falou com o motogp.com sobre o processo de recuperação física, das novidades que vai encontrar na equipa este ano, das expectativas em relação ao próximo Teste de Sepang, da nova temporada... e de muito mais.

Dani Pedrosa regressou à acção depois de meses de inactividade, um repouso imposto pelos médicos depois da operação à dupla fractura na clavícula esquerda contraída no Japão.

Como foi o regresso ao trabalho e como te concentraste na preparação física nestas circunstâncias?

Até ao Ano Novo estive a repousar, mas depois dos exames médicos que me deram luz verde comecei a treinar na Suíça. Perdi todo o mês de Dezembro enquanto muitos outros estavam, de certeza, a treinar. É claro que não posso esforçar-me ao máximo em cada dia porque o meu corpo ainda não o permite, mas trabalho com os meus preparadores para tirar o máximo partido.

A que nível te encontras neste momento?

É claro que estou muito melhor, os exames são prova disso. Deram-me luz verde para começar a preparar-me com o braço esquerdo da mesma forma que com o direito, se bem que, como é lógico, tive de começar com mais suavidade. Consegui melhorar bastante nestes dias, é um processo algo lento, mas estou na direcção certa.

Como é que olhas para o primeiro Teste em Sepang?

Estou sempre ansioso pelo primeiro teste. Estou animado porque Novembro e Dezembro foram duros, tive muitos problemas e não estava bem, mas quando se começa a melhorar e a ver que as sensações são melhores começamos logo a ficar mais animados. Sei que não vou estar a 100% em termos físicos no primeiro Teste, mas ficarei contente se conseguir controlar bem a moto. Será como uma prova pessoal para ver como estou.

Em Novembro, quando testaste a RC212V em Valência comentaste que gostarias de melhorar vários aspectos do motor, chassis, agressividade da moto... Que esperas encontrar na Malásia dentro de duas semanas?

Basicamente o que pedi. Falando com a equipa vimos que havia alguns pontos a melhorar, testámos algumas modificações que foram positivas; estou certo que trabalharam nelas e espero ter algumas opções para ensaiar na Malásia para ver se melhorámos a travagem, a aceleração e a saída das curvas com tracção. É nisso que nos vamos centrar.

A chegada do Casey Stoner à equipa vai provocar mudanças no trabalho e evolução da moto? Haverá um líder na hora de escolher a direcção a seguir?

Essa pergunta é mais para a HRC, mas em princípio testamos coisas durante a pré-época e quando se chega à primeira corrida são utilizadas as coisas que foram escolhidas e são montadas nas motos de todos os pilotos.

Como vai ser o trabalho dentro da box da Honda este ano?

Igual ao ano passado, mas com mais um piloto.

Que julgas que faz falta em 2011 para que seja o ano de Dani Pedrosa?

Uma das coisas mais importantes é procurar não me lesionar. Se conseguir manter-me na moto e estar em todas as grelhas de partida terei, claramente, mais pontos que se não estiver presente.

O Jorge Lorenzo é o homem a bater em 2011, ou o pior inimigo está agora em casa?

Para mim todos os rivais são importantes, pelo que dou a todos o mesmo valor porque qualquer um pode causar surpresa. Sabemos que há quatro ou cinco pilotos que estão lá em cada corrida, mas o Campeonato é longo e é preciso estar sempre no topo. Nunca menosprezei ninguém, tento sempre que nunca me surpreendam, mas já sabemos que os pilotos bons estarão na frente a lutar em cada uma das corridas e é preciso ter isso em grande atenção porque são pilotos muito fortes. Mas eu também sou, pelo que estarei na luta!

Incluindo o Valentino Rossi na Ducati GP11...

Sim, creio que o Rossi se vai adaptar rapidamente à moto. Claro que terá de trabalhar, mas já vimos no passado que é muito capaz. De certeza que vai lá estar.

De todas as novidades de 2011, com Stoner na tua boz, Rossi na Ducati e caras novas como Abraham ou Crutchlow na grelha. Quem te desperta mais curiosidade?

Mais que os pilotos, que já sabemos que são rápidos, creio que um dos aspectos mais importantes em 2011 vão ser os treinos. O novo programa de treinos que já ensaiámos no final do ano. Creio que isso vai ser muito importante para o domingo.

Tags:
MotoGP, 2011, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›