Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Segundo dia de Sepang termina com Pedrosa na frente

Segundo dia de Sepang termina com Pedrosa na frente

O piloto da Repsol Honda foi o mais rápido desta quarta-feira na Malásia, com Casey Stoner a 0,664s e Ben Spies em terceiro. Jorge Lorenzo assinou a sétima marca, com Valentino Rossi em 13º.

A quarta volta de Dani Pedrosa nesta quarta-feira manteve-se insuperável neste segundo dia de Teste Oficial de MotoGP em Sepang, com o piloto da Repsol Honda a parar o cronómetro em 2m00,770s, o que o deixou bem à frente dos demais. Completando um total de 39 voltas ao traçado, o espanhol entrou logo no ritmo durante a manhã e terminou com 0,664s de margem sobre o segundo classificado Casey Stoner.

O australiano – companheiro de equipa de Pedrosa – registou a sua melhor marca do dia na penúltima volta ao circuito com um tempo de 2m01,434s, o que faz com que Pedrosa seja, até ao momento, o único a rodar abaixo dos 2m01s neste Teste. Pedrosa e Stoner rodaram com os garfos antigos, enquanto o terceiro piloto da Repsol Honda, Andrea Dovizioso, testou a nova opção.

O italiano foi quarto, apenas a quatro centésimo de segundo do piloto da Yamaha Factory Racing, Ben Spies, cuja melhor marca foi de 2m01,508s, ou seja terceiro a 0,738s da frente. O americano tentou confirmar diferentes especificações entre as duas M1 com que rodou neste segundo dia e trabalhou ainda no acerto do motor, isto enquanto continuou a progredir com o processo de trabalho com a nova equipa.

A dupla da San Carlo Honda Gresini, Marco Simoncelli e Hiroshi Aoyama, fez com que fosse cinco as RC212V entre os seis primeiros, com os pilotos a ficarem a dois centésimos de Dovizioso. Simoncelli passou parte do dia a trabalhar nas suspensões.

O Campeão do Mundo Jorge Lorenzo terminou o dia com o sétimo tempo. O piloto de fábrica da Yamaha rodou com o novo chassis da M1, o mesmo que espera agora modificar para o segundo Teste de Sepang dentro de três semanas, e apresentou uma marca de 2m01,563s, mais 0,793s que Pedrosa.

Álvaro Bautista (Rizla Suzuki) e Colin Edwards (Monster Yamaha Tech 3) foram os pilotos que fizeram, respectivamente, o maior e menor número de voltas. O espanhol efectuou 63 passagens pela linha de meta e conseguiu um tempo de 2m01,687s, enquanto Edwards fez 33 voltas e registou uma marca a três centésimos da de Bautista enquanto testou novos pneus Bridgestone.

Héctor Barberá foi o melhor entre os homens da Ducati ao levar a sua máquina da Aspar Team a décimo, com o piloto de fábrica Nicky Hayden em 11º (a 1,609s de Pedrosa) e Randy de Puniet, da Pramac Racing, em 12º (+1,656s). O francês sofreu queda na última hora de trabalho, na Curva 9, mas saiu ileso.

Tal como aconteceu no primeiro dia, Valentino Rossi lutou com os problemas no ombro. O italiano terminou com o 13º tempo; a marca de 2m02,597s surgiu na 40ª volta das 42 que efectuou e deixou o piloto da Ducati a 1m827s de Pedrosa.

Cal Crutchlow, da Monster Yamaha Tech 3, também está a recuperar de lesão no ombro e o estreante britânico teve a sorte de evitar mais problemas quando também foi ao chão, na Curva 6, já na última hora do dia. Crutchlow conseguiu como melhor tempo a marca de 2m03,032s antes de cair, contratempo que atribuiu a superfície escorregadia.

Seguiram-se duas Ducati, com Loris Capirossi, da Pramac Racing, e Karel Abraham, da Cardion AB Motoracing GP11, enquanto a LCR Honda de Tonin Elías a fechar a tabela de tempos a 3,256s da frente.

Pode ver as últimas voltas de hoje e de ontem carregando aqui.

Tags:
MotoGP, 2011

Outras actualizações que o podem interessar ›