Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone antevê início do ano no deserto do Qatar

Bridgestone antevê início do ano no deserto do Qatar

A já tradicional prova de abertura da época de MotoGP, no Circuito Internacional de Losail no Qatar, volta a ser o palco para o início da acção a 20 de Março para a categoria rainha e para a Bridgestone, que volta a ser o fornecedor oficial de pneus para o MotoGP pelo terceiro ano consecutivo.

Após o sismo de Tohoku na semana passada a Bridgestone deu o seu apoio à ajuda e recuperação da sua nação e de todos os que foram afectados pelo evento da sexta-feira passada. De momento a Bridgestone está a fazer o seu melhor nestas difíceis situações para garantir que o fornecimento de pneus ao MotoGP não será interrompido.

O Grande Prémio do Qatar, a única corrida nocturna do ano, apresenta desafios únicos aos pneus Bridgestone. As temperaturas nocturnas são relativamente frescas, abaixo dos 25ºC, fazendo com que seja necessário usar compostos macios para obtenção de boa aderência. Contudo, o desgaste é relativamente elevado devido à natureza do asfalto. Localizado no deserto, nos arredores da capital Doha, a areia soprada para o circuito faz com que a superfície seja muito abrasiva, exigindo compostos mais duros para ter a durabilidade necessária.

A abordagem da Bridgestone a estes desafios continua inalterada em relação ao ano passado em que a prestação dos pneus e respostas dos pilotos foram boas. Isto faz com que a opção de slicks tenha recaído sobre compostos médios e extra duros, bem como nos traseiros médios e duros para proporcionar um equilíbrio entre prestação e boa resistência.

As condições do circuito também mudam ao longo de cada noite com a descida das temperaturas a tornarem a pista mais escorregadia. A amplitude térmica pode ser suficiente para criar humidade em algumas zonas da pista. Esta é uma das principais razões pela qual a corrida deste ano começará uma hora mais cedo que em 2010, às 22 horas locais (GMT+3). Este ano o programa de MotoGP voltou às três sessões de treinos livres de 45 minutos e uma hora de qualificação, sendo que que em Losail o primeiro treino tem lugar quinta-feira 17 de Marlo pelas 19h55 locais.

Mikio Masunaga – Vice-Presidente e Membro Oficial da Administração, Bridgestone Corporation
"Oferecemos as nossas mais sinceras condolências às pessoas que estão a sofrer com o terrível sismo da semana passada na costa pacífica de Tohoku. Esperamos sinceramente que que a qualidade de vida e uma certa sensação de normalidade possa ser restaurada a todos os que foram afectados por esta tragédia e o grupo Bridgestone promete ajudar na recuperação. Neste momento, na situação actual, estamos a trabalhar arduamente para garantir que o fornecimento de pneus ao MotoGP não seja afectado e acredito que o vamos conseguir. Há muitas pessoas e fabricantes japoneses envolvidos no MotoGP e os nossos pensamentos e orações estão com eles e os seus familiares. Vamos continuar a dar o nosso melhor apoio a todas as equipas e pilotos de MotoGP ao longo de 2011.”

Hiroshi Yamada – Manager, Departamento de Competição Bridgestone
“Este é talvez o mais publicitado início de época dos últimos anos por causa de todas as mudanças de pilotos e equipas e penso que vamos ter uma corrida de abertura muito emocionante, bem como todo o ano. Na época passada o nosso processo de distribuição de pneus funcionou bem e contou com bom apoio de todos, pelo que vamos continuar da mesma forma este ano. Os testes de pré-época correu bem e acredito em mais uma forte época como Fornecedores Oficiais de Pneus de MotoGP, onde esperamos continuar a desempenhar o nosso papel para tornar as corridas mais excitantes e dar aos pilotos pneus seguros e previsíveis."

Hirohide Hamashima – Director, Desenvolvimento de Pneus de Competição Bridgestone
“O GP do Qatar é um desafio totalmente diferente para nós porque é a única corrida do ano que é feita à noite e no deserto. Quando as motos estão em pista sob as luzes artificiais a temperatura da pista é uma das mais baixas de toda a temporada em condições de seco, mas a areia do deserto é soprada para a pista muitas vezes. A areia não é como a que encontramos numa praia, parece mais um pó, o que torna o piso muito escorregadio e abrasivo, o que é uma situação difícil. É muito duro para os nossos pneus porque têm de ser suficientemente macios para darem aderência com temperaturas baixas, mas duros o bastante para resistirem ao desgaste e para terem força suficiente para responderem aos pontos de travagem mais fortes.”

“Esta é a razão pela qual escolhemos compostos médios e extra duros para os slicks frontais para Losail, ao contrário do habitual par consecutivo de compostos. O composto médio dá boa aderência em condições frias quando a pista está limpa, mas quando fica com areia a dureza extra do composto extra duro dá a necessária durabilidade e resistência ao desgaste para chegarem ao fim da corrida sem problemas.”

Tags:
MotoGP, 2011, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›