Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Rossi e Hayden lutam forte na primeira corrida

Rossi e Hayden lutam forte na primeira corrida

O italiano terminou em sétimo na estreia com a Ducati no Qatar, enquanto o companheiro de equipa americano foi nono.

A rodar com a sua já habitual garra e determinação, Valentino Rossi terminou o Grande Prémio do Qatar em sétimo, O italiano lutou com Ben Spies pelo sexto posto até ao limite da resistência do seu ainda débil ombro e conseguiu manter um bom ritmo até ao final.





Após ter partido da quinta linha da grelha Nicky Hayden fez uma corrida de recuperação, aumentando o seu ritmo de forma gradual para terminar em nono depois de uma série de boas ultrapassagens.





Valentino Rossi:

“É claro que não estamos aqui para terminarmos em sétimo, mas há coisas positivas a tirar desta corrida, a começar pelos tempos porque rodámos rápido. Fiz uma grande partida e isso sabe bem porque a potência que esta moto tem ajuda muito na partida. Depois cometi um pequeno erro na Curva 1, o que foi uma pena porque fiquei preso atrás do Barberá durante algumas voltas. Não fosse isso teria ficado mais perto do Simoncelli e do Dovizioso porque houve um período em que rodei como eles. É certo que não os teria batido porque no fim da corrida já conseguia rodar bem. Não me refiro à Ducati porque já no ano passado, depois de me magoar no ombro, tive o mesmo tipo de problema no final das corridas e como as duas motos são diferentes isso significa que o problema é mesmo a forma física. Também temos de melhorar a moto porque os outros deram claramente um passo em frente desde o ano passado. Mesmo assim, aprendi muito neste teste e nesta corrida e já demos instruções muito específicas sobre o que tem de ser feito a longo prazo para melhorarmos para a segunda metade da época, por exemplo. A curto prazo, por outro lado, vamos trabalhar na afinação, vamos continuar a ganhar experiência e a fazer exercício e fazer tudo o que posso para recuperar.”





Nicky Hayden:

“Fiz uma má partida e depois quando o De Puniet caiu quase passei por cima dele e tive de parar por completo. Estou contente por não o ter atropelado, mas foi mau para mim porque fiquei em último e atrasado para quem estava mesmo à minha frente. Comecei a recuperar e assim que cheguei a nono entrei num bom ritmo. Tentei apanhar o Edwards porque pensei que seria ainda melhor ter uma luta com ele na última volta com ele, mas não o consegui apanhar. Foi um fim-de-semana difícil para mim dentro e fora da pista, mas aqui estão todos a trabalhar ao máximo. São os primeiros a chegar e os últimos a sair. Não posso estar contente com a corrida, mas vim de último e os meus melhores tempos foram os últimos. Temos muito trabalho a fazer, mas foi apenas uma corrida e ninguém pode dizer que não tentámos.”

Tags:
MotoGP, 2011, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›