Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Corrado Cecchinelli fala dos regulamentos CRT

Corrado Cecchinelli fala dos regulamentos CRT

A FIM divulgou mais detalhes sobre os regulamentos “Claiming Rule Team” que entrarão em vigor na época de 2012 do Campeonato do Mundo de MotoGP. O Director de Tecnologia do MotoGP, Corrado Cecchinelli, explicou os principais aspectos ao motogp.com.

Ao mesmo tempo que a acção de pista se desenrolava no Estoril neste fim-de-semana a FIM divulgou mais detalhes sobre os regulamentos técnicos para a próxima época, nomeadamente o estatuto de “Claiming Rule Team” que será atribuído a algumas equipas em 2012.

Com a nova capacidade máxima dos motores de 1.000cc a entrar em vigor na próxima temporada, as máquinas que não pertencerem a um membro da MSMA (Yamaha, Honda, Ducati e Suzuki) têm de ser aprovadas pela Comissão de Grandes Prémios para poderem participar. As equipas que usem tal tipo de motos têm de pedir à Comissão de GPs a “Claiming Rule Team” (CRT) até 31 de Dezembro do ano anterior à temporada em que pretendem participar.

Os maiores efeitos do estatuto CRT junto das equipas serão a durabilidade do motor e capacidade do depósito de combustível, sendo que um piloto contratado a tempo inteiro por uma equipa CRT terá direito a usar 12 propulsores durante o ano, em contraste com os seis disponíveis para pilotos não CRT. As motos inscritas por uma CRT também estão autorizadas a utilizar depósitos de combustível com uma capacidade máxima de 24 litros contra os 21 das não CRT.

As CRT não podem representar qualquer fabricante da MSMA e estarão sujeitas à “Claiming Rule” que o Director de Tecnologia do MotoGP, Corrado Cecchinelli, explicou ao motogp.com.

“A partir de 2012 qualquer equipa independente tem a possibilidade de estar no MotoGP através da solicitação do estatuto CRT, ‘Claiming Rule Team’,” começou Cecchinelli. “A equipa aceita então que um dos seus motores pode ser reclamado, o que significa que pode ser comprado no final da corrida por um dos membros da MSMA por 20.000 euros, com transmissão, ou por 15.000, sem transmissão.”

“Se aceitarem estes regulamentos têm vantagens técnicas, como mais combustível – 24 litros contra 21 – e mais motores por piloto por época; 12 ao invés de seis. São grandes ajudas já que vão permitir a equipas independentes correrem com orçamentos muito mais baixos.”

Cecchinelli acredita também que os novos regulamentos vão ajudar a aumentar o número de motos na categoria rainha em 2012. “Penso que isto vai ajudar a competição em termos de mais motos na grelha. Não acredito que qualquer equipa CRT (que basicamente significa uma equipa privada da actualidade) perca possibilidades ou potencial em comparação com o presente.”

Ao longo da época podem ser reclamados a uma equipa CRT um máximo de quatro motores e cada membro da MSMA não podem reclamar mais que um motor por ano à mesma CRT.

A FIM revelou também que a Comissão de GPs aceitou a proposta da MSMA para oportunidades de testes para as máquinas elegíveis ao abrigo dos regulamentos de 2012. Durante a época de 2011 as equipas podem testar durante um máximo de oito dias com os seus pilotos contratados.

Tags:
MotoGP, 2011

Outras actualizações que o podem interessar ›