Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Repsol: 40 anos a fazer história no Campeonato do Mundo de Motociclismo

Repsol: 40 anos a fazer história no Campeonato do Mundo de Motociclismo

A petrolífera espanhola celebra quatro décadas de presença no Campeonato do Mundo de Motociclismo, período durante o qual conquistou 25 títulos em todas as categorias.

A Repsol tem estado presente no patrocínio do desporto desde 1969 e dois anos depois de se ter estreado na área entrou para o mundo das duas rodas.

Ángel Nieto, Jorge Martínez ‘Aspar’, Sito Pons, Álex Crivillé, Emilio Alzamora, Mick Doohan, Valentino Rossi, Dani Pedrosa, Marc Márquez… Grandes nomes da história do motociclismo em Espanha e no estrangeiro com algo em comum: todos eles foram, ou ainda são pilotos Repsol. As últimas quatro décadas de história do desporto contaram com a presença da Repsol, um dos patrocinadores de mais longa data.

Tudo começou em 1971 quando um jovem Ángel Nieto usou um “R” pela primeira vez na sua Derbi. Há 40 anos (9 de Maio de 1971) na pista austríaca de Slazburgring teve lugar a primeira jornada da época. Foi nessa data que se começou a escrever a história da Repsol nas pistas. Ángel Nieto subiu ao pódio duas vezes nesse dia: foi segundo nas 50cc e venceu nas 125cc. No final conquistaria o seu primeiro ceptro de 125cc e seria vice-campeão da categoria mais baixa. Um início de sucesso para a Repsol que assim começava o patrocínio às duas rodas.

Contudo, os primeiros a usar o logo Repesa – o embrião da Repsol – fora Alberto Ruíz Giménez, Eladio Doncel e José Manuel Lencina, que em 1969 competiram com carros das marcas Lancia e Alfa Romeo. Esse design original, usado por Dani Pedrosa e Andrea Dovizioso no Grande Prémio de Valência de 2008, ainda hoje vive nos carros da Repsol Classic Team.

Berço de campeões

Desde a estreia de Ángel Nieto com as cores da petrolífera os pilotos Repsol têm sido constantes protagonistas na história do desporto. Jorge Martínez ‘Aspar’ chegou ao título das 80cc e das 125cc em 1998. No mesmo ano Sito Pons, com a sua Honda NSR 250, reclamou o ceptro com as cores da Campsa.

Contudo, foi na categoria rainha que a Repsol emergiu verdadeiramente como patrocinador internacional. Em 1995 a companhia junta-se à equipa de fábrica da Honda Racing Corporation (HRC) e, em conjunto com Mick Doohan, Álex Crivillé e pilotos como Tadayuki Okada e Takuma Aoki, dominou a segunda metade da década.

A aliança da Repsol e da Honda ainda hoje existe e ao mais elevado nível: produziu nove Campeões do Mundo de Pilotos e igual número de títulos de Construtores. O australiano Mick Doohan foi Campeão durante os quatro anos que rodou com as cores da Repsol. Crivillé recebeu o testemunho em venceu as 500cc em 1999, tornando-se no primeiro Campeão do Mundo Espanhol da categoria rainha.

Nessa mesma temporada Emílio Alzamora, outro piloto Repsol, garantiu o ceptro do Campeonato do Mundo de 125cc. Dois anos mais tarde, em 2001, a classe de 500cc viu Valentino Rossi arrebatar o título, também ele com o apoio da Repsol. Nas 250cc Daijiro Kato vencia o campeonato e nos dois anos seguintes Rossi continuou a dominar na categoria rainha, desta vez numa 990cc. Ao mesmo tempo, Dani Pedrosa estreava-se no Campeonato do Mundo vencendo a classe de 125cc.

O piloto de Castellar del Vallés (Barcelona), agora na MotoGP Repsol Honda Team, voltou a triunfar em 2005 na categoria intermédia pelo segundo ano consecutivo. Desde essa altura mostrou ser um dos pilotos mais capazes do Campeonato do Mundo. Em 2006 Nicky Hayden conquistou o ceptro de MotoGP também com as cores da Repsol.

O mais recente nome na lista de Campeões da petrolífera é o de Marc Márquez, que bateu vários recordes no ano passado a caminho do ceptro de 125cc. Este ano a Repsol Honda Team apresenta uma das mais fortes formações da categoria rainha com Dani Pedrosa, Casey Stoner e Andrea Dovizioso, tendo já somado duas vitórias nas três primeiras corridas de 2011.

Durante estes 42 anos na competição, e quatro décadas no Campeonato do Mundo de Motociclismo, o nome da Repsol consolidou-se como um dos mais destacados entre os fãs, deixando de ser um simples patrocinador para se apresentar como um símbolo do mais elevado nível de competição e sinónimo de inovação, tecnologia e excelência em combustíveis para os mais exigentes desportos.

O recorde da Repsol no Campeonato do Mundo de Motociclismo:

50cc

1972    Ángel Nieto (Derbi)





80cc

1988    Jorge Martínez “Aspar” (Derbi)





125cc

1971    Ángel Nieto (Derbi)

1972    Ángel Nieto (Derbi)

1981    Ángel Nieto (Minarelli)

1982    Ángel Nieto (Garelli)

1983    Ángel Nieto (Garelli)

1988    Jorge Martínez “Aspar” (Derbi)

1989    Álex Crivillé (JJ-Cobas)

1999    Emilio Alzamora (Honda RS 125)

2003    Dani Pedrosa (Honda RS 125)

2010    Marc Márquez (Derbi RSA)





250cc

1988    Sito Pons (Honda NSR 250)

1989    Sito Pons (Honda NSR 250)

2001    Daijiro Kato (Honda NSR 250)

2005    Dani Pedrosa (Honda RSW 250)





500cc

1995    Mick Doohan (Honda NSR 500)

1996    Mick Doohan (Honda NSR 500)

1997    Mick Doohan (Honda NSR 500)

1998    Mick Doohan (Honda NSR 500)

1999    Álex Crivillé (Honda NSR 500)

2001    Valentino Rossi (Honda NSR 500)





MotoGP

2002    Valentino Rossi (Honda RC211V)

2003    Valentino Rossi (Honda RC211V)

2006    Nicky Hayden (Honda RC211V)

Tags:
MotoGP, 2011

Outras actualizações que o podem interessar ›