Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Repsol Honda com dobradinha e agonia para Pedrosa

Repsol Honda com dobradinha e agonia para Pedrosa

Foi um dia feliz para Casey Stoner e Andrea Dovizioso, da Repsol Honda, que terminaram nas duas primeiras posições este domingo no Monster Energy Grand Prix de France. Contudo, as notícias da fractura da clavícula de Dani Pedrosa após o incidente com o também piloto Honda Marco Simoncelli afectaram o espírito da formação.

Foi perante um recorde de público de 88.400 espectadores no dia da corrida – 176.200 no total dos três dias – que Stoner se estreou a largar da pole em Le Mans para reclamar depois a primeira vitória em qualquer classe no traçado. Um triunfo que surgiu após batalha inicial com o companheiro de equipa Pedrosa. O australiano conseguiu então isolar-se na frente para terminar com mais de 14 segundos de margem sobre Dovizioso, assinando a segunda vitória da época e voltando à luta pelo título ao saltar para a segunda posição da geral.

 

Dovizioso, que largou da primeira linha da grelha, em terceiro, a sua melhor qualificação da temporada, deu continuidade ao fim-de-semana positivo num traçado de que gosto. O piloto de 25 anos passou a maior parte da corrida em luta com Jorge Lorenzo e Valentino Rossi, na altura pelo quarto posto. Após o incidente entre Pedrosa e Simoncelli o homem de Forli, Itália, passou então a lutar pela segunda posição e conseguiu colocar-se à frente do actual Campeão do Mundo de MotoGP e do nove vezes Campeão do Mundo. A luta entre Dovizioso e Rossi revelou-se o centro das atenções e o piloto da Repsol Honda conseguiu manter a posição durante a última volta. Um desfecho igual ao do Estoril com Dovi a levar a melhor sobre o compatriota na última volta, mas desta feita para granjear o melhor resultado do ano até ao momento.

 

Pedrosa liderou o início da corrida após uma das suas já tradicionais partidas canhão, mas não demorou a ser passado por Stoner, na segunda volta. O espanhol manteve-se na luta pela liderança durante a primeira metade da corrida, mas depois começou a ser alvo dos ataques de Simoncelli. As duas Hondas tocaram-se, o que colocou Pedrosa fora da corrida e, infelizmente, resultou em fractura na clavícula. A Direcção de Corrida considerou a manobra de Simoncelli ilegal e puniu o italiano com uma passagem pela via de boxes. O bi-Campeão do Mundo de 250cc caiu para terceiro no Campeonato depois de não ter terminado a corrida, estando agora a 17 pontos de Lorenzo.

   

Casey Stoner, Repsol Honda

"O fim-de-semana correu-nos bem desde o início; chegámos aqui vindos do teste de Portugal com a moto praticamente na mesma e melhorámos algumas coisas e só tivemos de ajustar a afinação para o circuito. Fomos para a corrida confiantes; no início o ritmo do Pedrosa estava muito forte e foi difícil passá-lo porque ele estava a ser muito cauteloso. Quando o ultrapassei pensei que podia ganhar vantagem, mas ele conseguiu igualar os meus tempos e seguiu-me durante algumas voltas, pelo que tive de continuar a puxar mais do que queria e acabei por conseguir isolar-me. A partir desse ponto consegui concentrar-me na consistência e ganhar. Os meus pensamentos estão com o Pedrosa neste momento, espero que recupere depressa, ele é um grande candidato para este campeonato.”

 

Andrea Dovizioso, Repsol Honda

"Estou mesmo muito contente com a segunda posição de hoje, é muito importante para o campeonato e surge após o início da época, altura em que não obtivemos os resultados esperados. Fizemos um bom trabalho desde o início do fim-de-semana e sabia que podia lutar pelo pódio, mas não esperava o segundo lugar. Tive uma grande luta com o Rossi e batê-lo é sempre especial. Sabe bem estar no pódio depois de uma luta tão forte. Estava a perder muito em duas zonas, mas estava forte na travagem, pelo que apresentei boa estratégia e quando passei dei o máximo para não o ter muito perto de mim, em particular nas Curvas 10 e 11, onde ele era mais rápido. No que toca à corrida, fiz uma boa partida, a forte ultrapassagem do Lorenzo atrasou-me um pouco, mas depois consegui recuperar. Temos de continuar a trabalha para reduzir a diferença para estarmos com os da frente desde o início. O Pedrosa teve muito azar hoje e espero que possa recuperar depressa.”

 

Dani Pedrosa, Repsol Honda

"Estava a ter uma boa corrida, o objectivo era garantir mais um pódio e tinha tudo para o conseguir. Agora conta para nada. O Simoncelli passou-me, eu passei-o depois e tinha uma linha melhor. Ele veio para cima de mim, largando o travão e não pude fazer nada. Saio daqui com a clavícula partida e ele com uma penalização de passagem pela linha de boxes, bom para ele! Mais uma vez, eu fiquei pior. Tinha acabado de recuperar do pesadelo da última operação e agora estou lesionado outra vez. É muito injusto, não o mereço.”

Tags:
MotoGP, 2011, MONSTER ENERGY GRAND PRIX DE FRANCE, Dani Pedrosa, Andrea Dovizioso, Casey Stoner, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›