Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pedrosa: "Gostava de já estar a correr, mas não posso”

Pedrosa: 'Gostava de já estar a correr, mas não posso”

Numa entrevista com o motogp.com, o piloto da Repsol Honda afirmou não ter data para o regresso à acção, mas reconheceu que o apoio dos fãs tem sido importante durante este difícil período de recuperação da fractura na clavícula.

Dani Pedrosa falhou o Grande Prémio da Catalunha do passado domingo e não vai recuperar a tempo do AirAsia Grand Prix of Great Britain do próximo fim-de-semana em Silverstone. A recuperação da clavícula partida em Le Mans vai ser mais lenta que o esperado.

Na entrevista com o motogp.com Pedrosa disse: “Infelizmente falhei a corrida de Barcelona, o que é uma pena. É uma corrida especial pela qual esperava há muito, mas não pude lá estar. Mas estou contente com as mensagens encorajadoras que tenho recebido dos fãs, sentem a minha falta e vi o quanto me apreciam, o que gosto."

No que toca ao estado da clavícula direita, Pedrosa disse: “Estou a tentar recuperar ao mais depressa que posso, é claro que não é a recuperação mais rápida que tive. Tenho de manter a calma durante uns tempos. Agora sinto-me melhor, mas não posso correr, é uma pena, mas tenho de tentar recuperar. Temos de levar isto de semana a semana."

Até à queda de Le Mans Pedrosa estava a apresentar um grande início de época, somando mesmo a vitória no bwin Grande Prémio de Portugal depois de ter recuperado de uma operação para remover a placa e parafusos da clavícula esquerda. “Falhei a possibilidade de lutar pelo título – tinha um bom conjunto e a moto tem funcionado bem. Sinto-me psicologicamente bem e estava a conseguir bons resultados com a moto, fiz um bom início de época. O que me aconteceu está fora do meu controlo, mas a situação deixou-me assim e sem somar pontos para o campeonato. A HRC Repsol ainda acredita em mim e ainda me apoia, espero poder fazer uso do apoio dos fãs e da Repsol para voltar a correr o mais depressa possível."

Sobre algumas situações que se verificaram no último Grande Prémio e que requereram a intervenção da Direcção de Corrida, Pedrosa disse: “Teria agido de forma diferente da Direcção de Corrida. Na minha opinião, teria agido de forma a garantir que este tipo de situações não voltam a acontecer no futuro, teria tomado uma decisão severa. Mas eles é que decidem por nós. A minha situação é que alguém deitou o meu campeonato fora e isso é difícil de engolir, mas tenho de aceitar."

Tags:
MotoGP, 2011, Dani Pedrosa

Outras actualizações que o podem interessar ›