Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dia positivo para pilotos da Repsol Honda

Dia positivo para pilotos da Repsol Honda

O Campeonato do Mundo de MotoGP chegou ao belo traçado de Mugello, na Toscana, para o Gran Premio d’Italia TIM.

A primeira sessão de livres foi disputada com sol, uma variante bem-vinda face às últimas corridas. O líder do Campeonato Casey Stoner sentiu dificuldades na primeira sessão de treinos devido à lesão no pescoço contraída na queda que sofreu na sexta-feira, em Assen, o que causou desconforto nas rectas. Mesmo assim, rodou em 1m49,027s, meio segundo mais rápido que o recorde do circuito assinado por Pedrosa em 2010. Marca que se apresentou como a melhor até ao último momento, altura em que Marco Simoncelli conseguiu um registo de 1m48,987s na sua última volta.

Andrea Dovizioso, ainda com o pódio de Assen fresco na memória, teve positiva primeira sessão de treinos e também assinou o seu melhor tempo na última volta, a seis centésimos de Stoner, em terceiro.

De regresso à pista pela primeira vez desde Le Mans, Dani Pedrosa levou algum tempo para se acostumar de novo à RC212V e completou 19 voltas de manhã, terminando com o sétimo tempo. Após a sessão sentiu dores no ombro, mas era algo esperado e Dani vai receber tratamento ao longo do fim-de-semana para reduzir as dores.

Já durante a tarde a chuva voltou a marcar presença, como tem acontecido desde Jerez. A pista não estava suficientemente molhada para pneus chuva, nem seca o bastante para slicks, o que levou Stoner e Pedrosa a ficarem nas boxes, enquanto Dovizioso completou seis voltas.

Casey Stoner:
"A manhã foi muito dura, as minhas lesões de Assen não sararam completamente e parece que o problema no pescoço é um pouco maior. Nas rectas mais longas sofri um pouco com o vento e lutámos com isto e não tivemos tempo de pista suficiente para encontrar boa afinação para completar as voltas que queria. Dito isto, de forma geral a moto trabalhou muito bem desde que saí da box, o que me deixa muito contente; não me posso queixar muito. Há algumas coisas que gostávamos de melhorar no que toca às curvas, mas não tivemos muito tempo de pista durante a tarde. No início de FP2 não estava suficientemente molhado para pneus de chuva, teriam ficado destruídos, depois secou, mas não tínhamos tempo para fazer uma volta, por isso optámos por esperar até amanhã.”

Andrea Dovizioso:
“Estava curioso por rodar em Mugello com o novo asfalto e tenho de dizer que esteve à altura das expectativas. É muito divertido rodar aqui, esta pista é linda. O novo asfalto é mesmo macio e alguns dos pontos de referência que tínhamos agora desapareceram e algumas linhas mudaram, por isso esta manhã precisávamos de mais voltas para melhorar esta situação. De tarde, a chuva ligeira estragou a sessão, mesmo assim estou contente com a facilidade com que rodei em 1m49,272s com pneus usados, a um décimo do tempo da manhã. Começámos o meu GP caseiro com tempo rápido, estou contente.”

Dani Pedrosa:
"É bom estar de volta à moto. Sinto dores, é claro, especialmente nas travagens duras e nas curvas para a direita, mas é normal. Tendo em conta que estive mês e meio sem tocar numa mota não estive mal de manhã. Sei que a corrida vai ser muito dura e vou sentir dores nas mudanças de direcção, mas temos o dia todo de amanhã para trabalhar e espero ter uma boa posição na grelha. As dores vão aumentar com o esforço, mas vou tentar preparar-me durante os treinos com algum tratamento, descanso e fazer o maior número de voltas possível amanhã. Continuo optimista. Tive sorte esta tarde com a chuva porque me permitiu descansar um pouco mais. Sei que amanhã vai ser mais duro porque todos vão melhorar os seus tempos e terei de fazer um grande esforço.”

Comunicado de imprensa Repsol Honda

Tags:
MotoGP, 2011, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM, Dani Pedrosa, Andrea Dovizioso, Casey Stoner, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›