Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Stoner mais forte no Teste Oficial de Mugello

Stoner mais forte no Teste Oficial de Mugello

O actual líder do Campeonato do Mundo foi o mais rápido nesta segunda-feira no teste oficial da categoria rainha na pista italiana.

Foi sob condições quentes no circuito de Mugello nesta segunda-feira que mais de metade do pelotão da categoria rainha foi para a pista para o Teste Oficial de MotoGP. O actual líder do Campeonato do Mundo, Casey Stoner, foi o mais rápido do dia com uma marca de 1m47,326s, mais de seis décimos de segundo mais rápido que o tempo que lhe deu a pole para a corrida de domingo.

 

O piloto da Repsol Honda, que testou novo braço oscilante, sofreu pequena queda na Curva 1 durante a manhã, mas completou um total de 47 voltas ao longo do dia e viu Marco Simoncelli (San Carlo Honda Gresini) ser segundo na tabela de tempos. O italiano, em busca de solução para o problema de aderência que o afectou na corrida de domingo, foi o outro único piloto a rodar abaixo do segundo 48 com um registo de 1m47,422s.

 

O companheiro de equipa de Stoner, Andrea Dovizioso, rodou em 1m48,061s, ficando em terceiro lugar a 0,735s do australiano. Em conjunto com Dani Pedrosa, todos os elementos da Repsol Honda testaram várias afinações de electrónica e afinações para as suas RC212V. Pedrosa, que regressou à acção na corrida de domingo depois de ter falhado três GPs, terminou o seu dia de trabalho às 13 horas locais e ao cabo de 26 voltas, garantindo um tempo de 1m49,015s.

 

O estreante da categoria rainha Karel Abraham ultrapassou a queda na Curva 6 durante a manhã para completar 46 voltas. O checo da Cardion AB Motoracing terminou em quinto, mesmo à frente de Pedrosa, num dia em que trabalho na afinação da suspensão frontal e posição de pilotagem.

 

Álvaro Bautista (Rizla Suzuki) assinou a sétima marca do dia com a GSV-R, enquanto testou novo composto para o pneu frontal e variações de electrónica, isto enquanto Randy de Puniet (Pramac Racing) comparou o chassis padrão da sua Desmosedici com a versão melhorada que é o ‘step 1’, tal como Héctro Barberá. O piloto da Mapfre Aspar testou ainda nova carenagem. O gaulês e o espanhol terminaram com os oitavo e quarto tempos, respectivamente.

 

Hiroshi Aoyama (San Carlo Honda Gresini) foi nono, depois de trabalhar na afinação de corrida. O nipónico ainda não está fisicamente a 100% devido à queda de Assen. A fechar a lista dos dez primeiros ficou Sylvain Guintoli. O francês, cuja última presença no MotoGP remonta a 2008, testou a Desmosedici da Pramac Racing, de Loris Capirossi, e é provável que rode no lugar do italiano em Sachsenring caso este ainda não tenha recuperado da lesão.

 

Guintoli, cuja única preocupação foi recuperar as sensações com o protótipo de 800cc, assinou como melhor tempo a marca de 1m52,398s antes de passar o testemunho para o piloto de Moto2 Andrea Iannane durante a tarde. Esta foi a estreia do italiano aos comandos de uma máquina de MotoGP.

 

Também em pista esteve o piloto de Moto2 Mika Kallio, sem bem que o finlandês esteve aos comandos do protótipo de 1000cc da Suter dando continuidade ao trabalho de desenvolvimento da Marc VDS com vista a 2012. Kallio efectuou pouco mais de 60 voltas ao longo do dia e conseguiu como melhor registo o tempo de 1m53,668s.

Tags:
MotoGP, 2011, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM

Outras actualizações que o podem interessar ›