Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Edwards e Crutchlow somam importantes pontos na Alemanha

Edwards e Crutchlow somam importantes pontos na Alemanha

Os pilotos da Monster Yamaha Tech 3 Team, Colin Edwards e Cal Crutchlow, somaram importantes pontos depois de se terem envolvido em excitantes batalhas ao longo da corrida do eni Motorrad Grande Prémio da Alemanha, em Sachsenring.

Edwards apresentou prestação determinada ao longo das 30 voltas, lutou contra os efeitos de uma garganta inflamada para terminar em 10º depois de cativante luta a quatro pelo sétimo posto que incluiu Álvaro Bautista, Valentino Rossi e o compatriota Nicky Hayden, todos eles em máquinas de fábrica.

A quatro voltas do final Edwards teve de abandonar o trio que tinha à frente quando se debateu com problemas de aderência nas esquerdas. O texano ficou, ainda assim, satisfeito por ter atingido o seu melhor resultado em Sachsenring. Ele acredita que agora pode competir por um resultado nos seis primeiros em casa, em Laguna Seca, na Califórnia, no próximo fim-de-semana.

Enquanto isso, Crutchlow rodou com a tradicional agressividade para apresentar fantástica prestação sob intensa pressão para manter Randy de Puniet, Hector Barbera e o também estreante de MotoGP Karel Abraham atrás de si. Lutando contra falta de sensações na frente da moto, que Crutchlow tentou melhorar ao longo do fim-de-semana, o britânico não conseguiu manter a linha à entrada para a Curva 3 na 26ª volta e caiu para 14º. O jovem de 25 anos não demorou a recuperar o ritmo, mas apesar do esforço para recuperar os postos perdidos terminou a menos de 0,5s do 11º lugar.

Colin Edwards:
“Foi uma corrida difícil porque dava para ver algumas posições para ganhar à nossa frente, mas não conseguimos fazer nada para andar para a frente. Estive com o Valentino, Nicky e o Álvaro quase toda a corrida, mas por mais que tentasse não conseguia ficar suficientemente perto para os tentar passar. Um décimo nesta pista parece uma eternidade porque é curta, mas sentimo-nos sempre presos a um elástico. Sempre que começávamos a fazer as esquerdas depois da Curva 4 eles apresentavam mais tracção que eu. Ganhavam alguma vantagem, mas depois eu recuperava na travagem forte para a Curva 12 no final da descida e na travagem para a última curva. A minha moto estava mesmo estável em travagem, mas voltava a perder na volta seguinte e tinha de começar tudo de novo. A poucas voltas do fim, na Curva 2, sem acelerar a traseira fugiu-me. A partir dessa altura tive menos aderência e alguma vibração e não consegui manter-me com eles. Estava a cometer mais erros para tentar acompanhá-los. Foi por isso que só fiquei em 10º, o que não o resultado que queria, mas nunca estive bem nesta pista e nunca tinha sido tão rápido aqui. Normalmente é um desastre, por isso estou contente por agora ir para Laguna Seca e correr perante os meus fãs. Sinto-me bem e confiante.”

Cal Crutchlow:
“É claro que não posso estar contente com o 14º lugar porque acredito que devia ter lutado nos dez primeiros. Mas o lado positivo foi ter conseguido lutar durante toda a corrida com pilotos que têm muito mais experiência que eu e que conhecem melhor a pista. Queria mesmo terminar em 11º, mas quando alarguei a trajectória a poucas voltas do fim ia ser sempre uma luta contra o tempo para recuperar os lugares numa pista como esta, tão apertada e sinuosa. Mas não desisti e dei o máximo até ao final e quase recuperei duas posições. Não tinha aderência suficiente na frente e traseira e foi mesmo difícil. Não senti que podia puxar mais e foi estranho porque fizemos muitas grandes alterações na moto este fim-de-semana sem nunca termos encontrado melhorias. Aprendemos algumas coisas que nos vão ajudar no futuro e agora estou desejoso por Laguna Seca, onde quero voltar a estar nos dez primeiros.”

Comunicado de imprensa Monster Yamaha Tech 3 Team

Tags:
MotoGP, 2011, eni MOTORRAD GRAND PRIX DEUTSCHLAND, Cal Crutchlow, Colin Edwards, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›