Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Lorenzo e Spies guardam-se para última volta a Sachsenring

Lorenzo e Spies guardam-se para última volta a Sachsenring

O Grande Prémio da Alemanha apresentou uma das mais emocionantes corridas desta época com os pilotos da Yamaha Factory Racing, Jorge Lorenzo e Ben Spies, a guardarem os trunfos para a última curva para assinarem os segundo e quinto postos, respectivamente.

O vencedor de Mugello, Jorge Lorenzo, passou as 30 voltas da corrida na luta na frente do pelotão com o líder do Campeonato Casey Stoner e o também piloto Honda Dani Pedrosa. Depois de ter mantido o segundo posto da grelha, o piloto da Yamaha Factory passou Stoner a 17 voltas do final. Mas com o passar das voltas Lorenzo cedeu a passagem primeiro a Pedrosa e depois a Stoner antes de recuperar com impressionante ultrapassagem na última curva para garantir, em cima da linha de meta, o intermédio do pódio.

Spies perdeu uma posição, para sexto, à partida devido a falta de aderência que não lhe permitiu aproximar-se do grupo da frente no início da corrida. Um ritmo consistente durante a maior parte da prova viu-o correr sozinho até que a paciência deu frutos quando se aproximou de Marco Simoncelli e Andrea Dovizioso. A luta entre os dois à sua frente fez com que a ultrapassagem no sinuoso traçado de Sachsenring fosse difícil. Spies manteve a posição até á última curva da corrida para passar Simoncelli e terminar em quinto, tal como o companheiro de equipa tinha feito a Stoner no mesmo local segundos antes.

Ao negar o segundo posto a Stoner, Lorenzo aproximou-se da liderança do Campeonato, estando agora a 15 pontos da frente e com um total de 153 antes de Laguna Seca. O companheiro de equipa Spies mantém a sexta posição, agora apenas a 13 pontos de Valentino Rossi, em quarto.

Jorge Lorenzo:
“Estou muito contente! Foi uma corrida fantástica. A meio da corrida fiquei muito cansado da mão esquerda, pelo que não sabia se ia ter forças para continuar a puxar até final. Depois o Casey travou muito a duas curvas do fim e tirei partido disso, acelerei a fundo na última curva e dei tudo. Foi um milagre ter passado! Esta corrida é muito importante e estamos muito orgulhosos com o resultado. Tenho de agradecer à equipa da Yamaha que trabalhou muito para me dar uma moto rápida durante todo o fim-de-semana, foram fantásticos.”

Ben Spies:
“Infelizmente cheguei ao grupo da frente um pouco tarde, mas dei tudo o que tinha. Faltou-me alguma aderência no início, tentei ser consistente e esperei que eles viessem até mim porque não podia rodar ao mesmo ritmo que eles no início. Em termos de tempos por volta foi talvez a corrida mais consistente que fiz. Depois apanhámo-los a três voltas do final e ficou tudo louco. O Simoncelli começou a procurar uma aberta para passar o Dovizioso e sempre que tentei passar um deles estava de um lado da pista e o outro do lado oposto. Foi jogo limpo, estavam a correr um contra o outro, mas estragou-me os planos! O Simoncelli alargou a linha no final e passei-o na última curva. Gostava de ter passado o Dovizioso porque tínhamos ritmo, mas já não havia tempo.”

Comunicado de imprensa Yamaha Factory Racing

Tags:
MotoGP, 2011, eni MOTORRAD GRAND PRIX DEUTSCHLAND, Jorge Lorenzo, Ben Spies, Yamaha Factory Racing

Outras actualizações que o podem interessar ›