Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Marc Márquez: “Sabemos aprender com os erros”

Marc Márquez: “Sabemos aprender com os erros”

O piloto Repsol chega a meio da época em segundo da geral no ano de estreia na Moto2.

Apesar de ter iniciado a época com três quedas nas três primeiras corridas, Marc Márquez aprendeu com os erros e está agora numa fantástica trajectória ascendente. As quatro vitórias somadas – as últimas três consecutivas – e um segundo lugar levaram o piloto de Cervera ao segundo posto no Campeonato, o que lhe permite encarar a segunda metade da temporada com optimismo.

Depois da grande pré-época que tiveste esperavas começar o Campeonato do Mundo como começaste?

“A minha adaptação na pré-época foi melhor que o esperado. No início da competição não esperávamos manter o nível dos testes, mas também não esperava três quedas. O lado positivo é que sofremos quedas em luta pelas primeiras posições. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde os resultados surgiriam porque estávamos a fazer bom trabalho e tínhamos bom nível. Só precisávamos de um fim-de-semana em que as coisas nos corressem de feição, sem quedas, e seríamos capazes de um bom resultado.”

Como reagiste quando estavas entre os mais rápidos da categoria, mas estavas a zeros ao fim de três corridas?

“Na verdade foi um pouco difícil e precisámos de tempo, mas com a ajuda da equipa fiquei mais calmo, foi tudo mais fácil. Sabíamos que era a nossa primeira temporada, que teríamos de aprender e registar os erros para os evitarmos de futuro. Foi o que fizemos e foi por isso que comecei a ter bons resultados.”

Na Moto2 aprendes caindo?

“Há formas diferentes de aprender nesta categoria e aprendi muito com as quedas. Assim aprende-se mais e mais depressa.”

Contudo, desde França somaste quatro vitórias e uma segunda posição em cinco corridas. O que é que mudou? O que aprendeste para uma mudança tão espectacular?

“O que mudou é que tenho mais quilómetros feitos, conheço melhor as reacções da moto, estou muito mais confortável nela e estou a começar a divertir-me. Além disso, conhecemo-nos melhor na equipa, o Santi [Hernández] e eu conhecemo-nos muito melhor e compreendemo-nos melhor. Temos mais experiência em conjunto e isso ajuda-nos a ter agora uma equipa que atinge os resultados que queremos.”

O que é mais importante na Moto2: ter bom ritmo na corrida, ou conseguir uma boa posição na grelha?

“É tudo importante. Ter um bom ritmo, porque todas as corridas são longas e tudo pode mudar de início a fim, mas também é importante conseguir uma boa posição na grelha. Na qualificação há muitos pilotos e damos por nós em 10º ou 15º de um momento para o outro. Isso obriga-nos a esforço extra na corrida, o que nos desgasta se conseguirmos chegar a primeiro.”

Uma das características únicas da Moto2 é o facto de ser uma categoria muito disputada, mas esta época dois pilotos apenas venceram o maior número das corridas: o Brald e tu, tirando o Iannone que venceu uma corrida. Estás surpreso com isto? Esperas ver mais alguém a esse nível de forma regular?

“A verdade é que estou surpreso, pensei que houvesse um pouco mais de variedade, mas o Bradl está a mostrar grande consistência que lhe permite liderar. Temos de ser pacientes e fazer as coisas passo a passo. Sendo o nosso primeiro ano aqui e com tantos pilotos de alto nível, é importante ter calma. Penso que no resto da época os vencedores serão mais variados. Há alguns pilotos que nos podem surpreender a qualquer momento: o Luthi, De Angelis, Takahashi, Iannone, Aleix Espargaró ou o Julián Simón, entre outros.”

Qual a tua avaliação da primeira metade da época e como planeias a segunda parte do ano?

“É muito positiva. Penso que temos de nos concentrar na última parte da primeira metade do Campeonato, já que foi aí que conseguimos bons resultados e algumas vitórias. Estou muito contente. As desistências no início do ano já fazem parte do passado, mas é o primeiro ano, temos de as aceitar e aprender com os nossos erros, o já mostrámos ter feito.”

Tens planos para estas semanas de férias?

“Descansar e estar com família e amigos. Vou tentar desligar, mas também quero treinar para chegar a Brno na melhor forma.”

Tags:
Moto2, 2011, Marc Marquez, Team CatalunyaCaixa Repsol

Outras actualizações que o podem interessar ›