Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dovizioso: “Nunca estive tão forte em todas as corridas como este ano”

Dovizioso: “Nunca estive tão forte em todas as corridas como este ano”

O piloto da Repsol, seguro na terceira posição da geral, está optimista para a segunda metade da época.

Na terceira época com a Repsol Honda Team, Andrea Dovizioso chegou a meio da temporada num tranquilo terceiro posto da geral depois de ter somado quatro pódio e de ter somado pontos em todas as corridas de 2011.

Quais são os planos para estes dias livres?

“Férias em família, cinco dias na Sardenha a descansar na praia com a família e amigos para relaxar e recuperar energias para Brno.”

Estás satisfeito com o terceiro posto no Campeonato do Mundo?

“Com a terceira posição sim, mas não com as diferenças para o Casey (Stoner) e Jorge (Lorenzo). Cinquenta pontos é demais, mas nada é impossível.”

Como avalias a primeira metade da época?

“Quero ver o lado positivo e estamos em terceiro no campeonato, nunca estive tão forte em todas as corridas como este ano. Por isso estou muito contente com o trabalho feito pela equipa e com as minhas sensações com a moto, mas é claro que o objectivo é lutar pelo campeonato e neste momento não estamos suficientemente competitivos para delinearmos uma estratégia para o conseguirmos atingir. Seja como for, estamos bem posicionados no campeonato e ainda temos oito corridas pela frente, pelo que temos de acreditar. Vamos ver que resultado conseguimos no final.”

Já te vimos nos segundo e terceiro degraus do pódio. O que é que falta ao Andrea Dovizioso para vencer?

“É muito difícil porque o nível é muito elevado. O Lorenzo está a fazer uma grande temporada, o Casey está muito forte e o Dani (Pedrosa), quando está em boa forma, marca a diferença. É mesmo muito difícil tentar ganhar-lhes. Quero dizer, bater todos ao mesmo tempo porque costuma estar sempre um deles na frente.”

Quais foram as tuas corridas preferidas até ao momento esta época?

“Penso que Mugello este ano foi lindo. Correr em Mugello, lutar pela vitória e terminar em segundo depois de grande batalha perante o público italiano foi algo de importante. Sentir o apoio deles foi uma sensação muito boa que nunca esquecerei.”

Se pudesses voltar atrás no tempo mudavas alguma das tuas decisões desta primeira metade do ano?

“Não. Penso que atingimos o máximo que podíamos com o que tínhamos, excepto em Laguna Seca, onde o máximo era terminar em quarto e não conseguimos. Mas até lá fiz tudo o que pude. Não chega porque queremos lutar pelo campeonato, mas acredito que não podíamos fazer mais.”

Como vez o Pedrosa, o Stoner e o Lorenzo neste momento e o que pensas que pode acontecer na luta pelo título entre o Stoner e o Lorenzo?

“Será muito difícil reduzir a distância para o Lorenzo e para o Casey porque quando estão bem ganham as corridas e quando assim não é estão no pódio. É muito complicado, mas quero acreditar nas minhas possibilidades e veremos. Penso que o Dani está numa situação melhor porque tem menos pressão e é muito rápido, é por isso que pode lutar pela vitória em todas as corridas.”

Das corridas que tens pela frente qual é que mais anseias?

“Talvez a Malásia. O Circuito de Sepang é um dos meus preferidos. É impressionante rodar lá com uma máquina de MotoGP.”

Entrevista cortesia da Repsol Media

Tags:
MotoGP, 2011, Andrea Dovizioso, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›