Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Crutchlow regressa ao Top 10 e Misano

Crutchlow regressa ao Top 10 e Misano

Cal Crutchlow rodou rumo a um muito merecido décimo lugar no GP Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini deste domingo sob condições quentes e húmidas no traçado de Misano.

A corrida de hoje revelou-se grande teste de resistência física dado o calor e humidade que se fizeram sentir na 13ª jornada do Campeonato do Mundo. Crutchlow teve de fazer uso de todas as suas forças para reclamar o primeiro resultado nos dez primeiros desde o sétimo lugar que conquistou na Catalunha.

Entre os dez primeiro logo à terceira volta Crutchlow lidou bem com os chuviscos que começaram a cair em algumas zonas da pista desde que os pilotos formavam a grelha. O britânico pressionou muito Álvaro Bautista nas primeiras 16 voltas antes de roubar o nono posto a Edwards na 21ª volta. Héctor Barberá fez com que voltasse a perder uma posição na 25ª volta; Crutchlow ainda deu tudo para recuperar, mas tece de se contentar com o décimo lugar final.

A corrida de hoje acabou por se revelar uma experiência difícil para Edwards, que tece de lutar com o piloto de fábrica da Yamaha Ben Spies durante as primeiras oito voltas. O piloto de 37 anos debateu-se depois com fortes problemas de pressão no braço a partir da 21ª volta, com as condições climatéricas e as fortes travagens do circuito a piorarem a situação para Edwards, que heroicamente terminou em 13º apesar de todo o desconforto.

Cal Crutchlow:
"Estou muito contente com a corrida, o meu primeiro Top 10 em muito tempo, o que aumenta a minha confiança. Terminar em 10º foi três lugares acima que a minha qualificação, o que é positivo. Podia ter sido um pouco melhor, mas fui travado pelo Barberá mesmo no final. Fiz tudo o que podia para o passar, mas tive um pequeno problema com o pneu traseiro. A entrada em curva estava mesmo difícil no final e não senti que podia puxar e tentar a ultrapassagem com confiança. A moto dele tinha um pouco mais de velocidade que a minha, pelo que não me consegui aproximar o bastante para atacar. O meu ritmo de corrida estava bom para quinto na corrida do ano passado, mas este ano só chegou para décimo. Isto ilustra bem o que o ritmo aumentou e o quão difícil é o MotoGP. A humidade era muita e estou contente por ter treinado tanto na minha bicicleta porque hoje foi um verdadeiro teste de resistência física. Foi bom termos ganho mais experiência e termos conseguido mais um bom resultado, agora só quero dar continuidade a este tipo de prestação no Motorland Aragón.”

Colin Edwards:
“Não tenho desculpas, o resultado de hoje só tem a ver comigo. Não sei porquê, rodo sempre tenso nesta pista. Disse a mim mesmo que tinha de relaxar e acalmar-me e depois na grelha caíram alguns pingos de chuva e não se consegue evitar e fica-se logo tenso porque não se sabe como vai ser ao longo da pista. A alteração de geometria frontal que fizemos no sábado de manhã fez com que a moto ficasse mais pesado e dura na mudança de direcção. Dei o máximo que pude nas primeiras dez voltas e estive muito perto do Ben (Spies) e depois foi de um momento para o outro. Senti muita pressão no braço e não conseguia sentir o travão frontal ou o guiador e no final só mexia o braço na direcção que pensava que tinha de ser. Nunca tive este problema com esta intensidade e para ser franco nem sabia que podia ser tão forte. Cheguei a um ponto em que estive perto de desistir. Mas cerrei os dentes e pensei em somar alguns pontos, o que fiz. Tudo o que posso fazer é esquecer o dia de hoje e tentar recuperar no Motorland Aragón dentro de duas semanas.”

Comunicado de imprensa Monster Yamaha Tech 3 Team

Tags:
MotoGP, 2011, GP APEROL DI SAN MARINO E DELLA RIVIERA DI RIMINI, Colin Edwards, Cal Crutchlow, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›