Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Simoncelli em boa forma para o Japão com Aoyama de olhos em corrida positiva em casa

Simoncelli em boa forma para o Japão com Aoyama de olhos em corrida positiva em casa

Graças aos incríveis níveis de dignidade e orgulho, apenas seis meses depois dos catastróficos efeitos do sismo e maremoto, o povo japonês está de cabeça erguida e tem o país preparado para receber um evento do Campeonato do Mundo.

Não se tratou de uma decisão fácil para o paddock de MotoGP, mas este fim-de-semana vai estar presente em peso em Motegi, no Japão. Para Marco Simoncelli a corrida é a oportunidade de dar continuidade ao quarto posto conseguido em Aragón e para dar continuidade ao recente bom momento de forma, enquanto para Hiroshi Aoyama esta é a possibilidade de mostrar todo o seu potencial no GP caseiro.

Não fosse o prematuro desgaste do pneu frontal de ‘Super Sic’ e o italiano podia ter lutado pelo pódio em Aragón, onde voltou a mostrar que tem todo o talento necessário para rodar na frente. Após a recente prova num Ford Fiesta WRC ao lado Mikko Hirvonen, vencedor do recente Rally da Austrália, Simoncelli sente falta da velocidade e está determinado a somar o pódio de que esteve tão perto em Misano e Aragón.

Hiroshi Aoyama continuou a recuperar a confiança com a moto em Aragón, terminando dentro dos pontos após corrida consistente e fez crescer as suas esperança para o GP em casa. O nipónico está apostado em não desperdiçar a oportunidade de mostrar aos seu fãs tudo aquilo de que é capaz aos comandos da sua máquina de MotoGP.

Marco Simoncelli:
“Não há amargura por ter terminado em quarto em Aragón, apesar de, ao olhar para trás, saber que podia ter terminado no pódio. Infelizmente o desgaste do pneu frontal afectou-me e, apesar de não ter alargado a trajectória, não consegui passar o Lorenzo porque ele esteve muito mais consistente ao longo da corrida. Foi uma pena, mas agora tenho a oportunidade de o compensar em Motegi. Estou contente com as alterações que fizemos à afinação frontal da moto em Aragón, durante o warm up, e isso deixa-me optimista para o futuro. Motegi não é uma das minhas pistas preferidas, tem travagens e acelerações muito fortes, o que não é bom para mim, mas vou tentar adaptar-me o melhor possível A corrida não foi muito má no ano passado e consegui lutar pelo quinto lugar com o Colin Edwards e venci nas 250cc em 2008 e consegui a pole nesse ano e em 2009 também, pelo que as coisas estão a nosso favor. Depois de Aragón fui a Inglaterra correr num Ford Fiesta WRC durante dois intensos dias com o Mikko Hirvonen, que é uma verdadeira lenda das quatro rodas e foi uma experiência muito boa. Ele disse-me que estive bem e que podia ter um futuro nos ralis. Veremos!”





Hiroshi Aoyama:
“Fiquei meio contente com a corrida em Aragón – satisfeito por ter sido consistente até ao final e por ter conseguido lutar com o Rossi e o Crutchlow, mas desiludido com o resultado final, que podia ter sido muito melhor. Seja como for, pelo menos consegui voltar a ter boas sensações com a moto e isso dá-me motivação para correr em casa perante os meus fãs. Vou ter muitos adeptos em Motegi e quero dar-lhes um bom resultado. Para mim é importante correr no Japão depois dos tristes eventos de Março; o meu povo lidou com a tragédia de forma corajosa e forte. O MotoGP tem grandes laços com os japoneses e a realização do Grande Prémio vai fortalecer ainda mais essa relação. Não tem sido fácil e compreendo porquê, mas ter todos a voltar ao Japão para a corrida em Motegi é um sonho que se tornou realidade.”

Comunicado de imprensa San Carlo Honda Gresini.

Tags:
MotoGP, 2011, GRAND PRIX OF JAPAN, Marco Simoncelli, Hiroshi Aoyama, San Carlo Honda Gresini

Outras actualizações que o podem interessar ›